Política

Sem discursar, Bolsonaro deixa missa de sétimo dia de falecimento de Dona Olinda

Da Redação ·

O presidente Jair Bolsonaro deixou pouco depois das 10h desta quinta-feira a Catedral Militar Rainha da Paz, em Brasília, onde participou da missa de sétimo dia de falecimento de sua mãe, Olinda Bolsonaro. A cerimônia contou com a leitura de uma carta do Papa Francisco endereçada ao chefe do Executivo. Bolsonaro fez a primeira leitura da missa, mas não discursou nem conversou com a imprensa.

continua após publicidade

A carta de Francisco foi lida pelo monsenhor Joseph Antony Puthenpurayil, representante do núncio apostólico. Considerado um grupo católico ultraconservador, os Arautos do Evangelho organizaram o coral da cerimônia religiosa.

Durante a homilia, o arcebispo militar Dom Fernando Guimarães, que presidiu a missa, afirmou que Bolsonaro deu "testemunho público de sua fé cristã" diante do falecimento de sua mãe. "Manifestou visão de que sua mãe, mãe de família, mulher, trabalhadora, cidadã brasileira, cumpriu uma missão", disse o sacerdote.

continua após publicidade

Em razão da missa de sétimo dia, o presidente teve de cancelar sua participação na cúpula do Fórum para o Progresso e Desenvolvimento da América do Sul (Prosul), que ocorre nesta quinta-feira em Cartagena, Colômbia. O vice-presidente Hamilton Mourão foi escalado para representar o Brasil no encontro.

Além do presidente, marcaram presença a primeira-dama, Michele Bolsonao, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente, e ministros como Paulo Guedes (Economia), Ciro Nogueira (Casa Civil), Flávia Arruda (Secretaria de governo), Fábio Faria (Comunicações), Braga Netto (Defesa), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral da Presidência) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).