Mais lidas

    Política

    pesquisa de opnião

    Rejeição de Bolsonaro cresce com piora da pandemia

    Rejeição de Bolsonaro cresce com piora da pandemia
    Foto por AFP/arquivos
    Escrito por Da Redação
    Publicado em 09.04.2021, 16:11:00 Editado em 09.04.2021, 16:11:02
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    Ao mesmo tempo que o governo federal descarta a adoção de um lockdown nacional e tenta acelerar a aquisição de novas vacinas, o trabalho de governadores e, principalmente, de prefeitos aparece melhor avaliado pela população do que o do executivo federal.

    Em relação à pandemia, enquanto o governo Bolsonaro tem 23% de avaliações ótimo/bom (mesmo número do novo ministro da saúde, Marcelo Queiroga), os governadores somam 29% e os prefeitos, 33%.

    Do lado das avaliações negativas, os números também confirmam uma melhor avaliação dos governos locais em comparação com o federal. Com 33% de ruim ou péssimo, os prefeitos se posicionam melhor na avaliação da população do que governadores (38%), e o governo Bolsonaro, cujo trabalho em relação à pandemia foi avaliado como ruim/péssimo por 55% dos entrevistados.

    Os dados são da mais recente pesquisa EXAME/IDEIA, projeto que une Exame Invest Pro, braço de análise de investimentos da EXAME, e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. O levantamento ouviu 1259 pessoas entre os dias 5 e 7 de abril. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. 

    Dentre as regiões do país, Norte e Nordeste são as que melhor avaliam a atuação dos seus prefeitos no enfrentamento da pandemia, com 42% e 36% de ótimo/bom. Já em relação aos governadores, o Centro-Oeste assume a segunda posição (com 34% de avaliações positivas), com o norte se mantendo em primeiro lugar (40% de ótimo/bom), e deixando nordeste em terceiro (32%). Os governadores da região sudeste são os mais mal avaliados, com 42% de ruim/péssimo.

    A pesquisa também perguntou aos entrevistados sobre as perspectivas deles em relação à pandemia para este mês de abril. 41% acreditam que não será nem melhor, nem pior, enquanto 32% apostam numa piora da situação sanitária do país. Outros 27% acreditam numa melhora -  número que chega a 46% na região norte e 38% na região centro-oeste.

    "O mais interessante desses dados é a polarização política com variável de correlação. Quanto maior o apoio ao presidente Jair Bolsonaro, maior o otimismo", explica Maurício Moura, fundador do IDEIA. "50% dos que aprovam o presidente acham que em abril a pandemia vai melhorar. Do outro lado, são 46% dos que desaprovam a presidência que acreditam na piora. O viés de avaliação é muito evidente nessa resposta."

    Em termos gerais (considerando não só o enfrentamento à pandemia, mas o governo como um todo), houve poucas oscilações na avaliação da gestão federal em comparação com o último levantamento, feito em março. Nesta nova rodada, 26% avaliam o governo Bolsonaro como ótimo/bom, 22% como regular e 51% como ruim/péssimo.

    Com informações: Exame 

    Mais matérias de Política

    Deixe seu comentário sobre: "Rejeição de Bolsonaro cresce com piora da pandemia"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.