Questão racial marca reta final da eleição em Porto Alegre - TNOnline
Mais lidas

    Política

    Política

    Questão racial marca reta final da eleição em Porto Alegre

    Escrito por Da Redação
    Publicado em 29.11.2020, 09:36:00 Editado em 29.11.2020, 09:44:28
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    Em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul e uma das cinco cidades do Estado a terem segundo turno, a disputa pelo segundo turno entre os candidatos Manuela DÁvila (PCdoB) e Sebastião Melo (MDB) será acirrada. A reta final da campanha foi marcada pelo assassinato no último dia 19 do mecânico Beto Freitas, homem negro, por seguranças do supermercado Carrefour e pela troca de acusações raciais entre os candidatos.

    Nesta semana, Melo afirmou que registrou ocorrência no Palácio da Polícia contra a adversária por, segundo o candidato, ter lhe acusado "de ser racista". Em resposta Manuela afirmou que o candidato "tenta criar um fato eleitoral diante da incapacidade de dizer que discorda das declarações literais de seus aliados" e afirmou que o concorrente "responderá judicialmente".

    Entre os apoios que Melo recebeu dos candidatos derrotados no primeiro turno está o do vereador Valter Nagelstein (PSD). Em áudio atribuído a Nagelstein, e defendido pelo vereador nas redes sociais, ele afirma que a bancada de cinco vereadores eleita pelo PSOL para a próxima gestão é composta por "jovens", "negros" e pessoas "sem nenhuma tradição política ou qualificação formal". A declaração causou revolta entre opositores que criticam as alegações de cunho racial.

    Além de Nagelstein, também apoiam Melo os candidatos derrotados Gustavo Paim (PP) e João Derly (Republicanos). José Fortunati (PTB), que renunciou à sua candidatura após problemas apontados pela Justiça Eleitoral sobre o prazo de filiação do vice, também apoia o candidato. Já Manuela tem o apoio de Montserrat Martins (PV) e das outras candidatas na disputa, Juliana Brizola (PDT) e Fernanda Melchionna (PSOL), bem como da Rede, que não ofereceu candidato.

    Derrotado no primeiro turno, o atual prefeito Nelson Marchezan (PSDB) disse que não apoiaria nenhum dos dois candidatos sob o argumento de que as duas candidaturas são "de confronto ao atual modelo de gestão da prefeitura de Porto Alegre". Entretanto, os diretórios estadual e municipal do seu partido, o PSDB, declararam que apoiam a reivindicação de Melo a fim de garantir a continuidade da atual gestão.

    Intenção de votos

    Segundo pesquisa Ibope encomendada pela rede RBS e divulgada deste sábado (28) Manuela tem 45% das intenções de votos totais contra 43% de Melo e ambos estão tecnicamente empatados dentro da margem de erro de 3 pontos percentuais. Votos brancos são 8% e não responderam 4%.

    Dos votos válidos, Manuela tinha 46% na semana passada, segundo o instituto, e passou para 51%. Já Melo tinha 54% e caiu para 49%. O levantamento ouviu 805 eleitores de Porto Alegre entre os dias 27 e 28 de novembro. O nível de confiança é de 95% e a pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob RS-05561/2020.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Política

    Deixe seu comentário sobre: "Questão racial marca reta final da eleição em Porto Alegre"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.