Política

'Petrobras pode mergulhar o Brasil num caos', diz Bolsonaro

O presidente utilizou seu perfil oficial do Twitter para dizer que é contra o novo reajuste dos preços dos combustíveis

Da Redação · GoogleNews

Siga o TNOnline
no Google News

Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
O presidente disse que o governo federal, como acionista da Petrobras, é contra o aumento do preço dos combustíveis
fonte: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O presidente disse que o governo federal, como acionista da Petrobras, é contra o aumento do preço dos combustíveis

Nessa quinta-feira (16), o Conselho Administrativo da Petrobras se reuniu para aprovar um novo aumento do preço dos combustíveis, que deve ser anunciado nesta sexta-feira (17). Por conta disso, o presidente da República, Jair Bolsonaro, utilizou seu perfil oficial do Twitter para dizer que é contra o reajuste.

continua após publicidade

Ainda conforme o chefe do Executivo, há uma crise mundial a respeito dos combustíveis e, mesmo com esse problema, a petroleira utiliza métodos abusivos para obter "lucro exagerado". 

Confira o post:

continua após publicidade

Reajuste dos combustíveis

A Petrobras deve anunciar, nesta sexta-feira (17), um novo aumento do preço dos combustíveis. A equipe administrativa da empresa se reuniu para debater sobre o aumento nessa quinta-feira (16), feriado de Corpus Christi, em uma convocação de emergência. 

continua após publicidade

Apesar de não estar sob a responsabilidade do conselho esse tipo de medida, o presidente do órgão, Márcio Weber, convocou a reunião para tentar dar um fim à crise que toma conta do assunto. O fato de, segundo a Petrobras, os preços estarem abaixo do mercado internacional fez com que o conselho tomasse a decisão.

Há quase 100 dias, a estatal não aumenta o valor gasolina, enquanto o o último reajuste do diesel veio há 37 dias. Segundo a Associação Brasileira dos Importadores e Combustíveis (Abicom), a defasagem em relação ao combustível no mercado externo é de até 18% no diesel e de 14% na gasolina.

Com o impasse entre as demandas do governo e do Congresso – que querem os preços mais baixos – e do mercado – que insiste na política de preço de paridade de importação (PPI) –, o conselho apostou no aumento.

continua após publicidade

A maioria dos participantes afirmou que é da competência do conselho tomar esse tipo de decisão e que isso estaria no estatuto. Geralmente, valores de combustíveis passam por um comitê que tem como integrantes o presidente da companhia, José Mauro Coelho, e os diretores de Finanças e Comercialização e Logística, Rodrigo Araújo e Cláudio Mastella.

Fonte: Metrópoles.