Morre ex-deputado Alencar Furtado, símbolo da luta contra a ditadura - TNOnline
Mais lidas

    Política

    Política

    Morre ex-deputado Alencar Furtado, símbolo da luta contra a ditadura

    Escrito por Da Redação
    Publicado em 11.01.2021, 16:38:00 Editado em 11.01.2021, 16:43:09
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    O ex-deputado Alencar Furtado, expoente da luta contra a ditadura militar e último político cassado no governo de Ernesto Geisel, morreu às 4h30 da madrugada desta segunda-feira (11), em Brasília. Ele tinha 95 anos e foi vítima de insuficiência renal. O sepultamento está marcado, para esta tarde, no Cemitério Campo da Esperança, na capital federal.

    As informações foram confirmadas ao Estadão pelo deputado Uldurico Pinto Junior (PROS-BA), neto de Furtado.

    "Ele deixou um legado muito grande. Foi um deputado muito atuante e representou muito bem o seu Estado e o nosso País. Foi cassado por ter discursado no momento em que o País não aceitava qualquer argumento contra o que se vivia. Ele teve uma história marcada por muita integridade e muita luta. A família e os amigos vão lembrar seu legado para sempre", afirmou.

    Em 27 de junho de 1977, Furtado, que era filiado ao MDB, protestou em rede nacional, no programa derádio e TV do partido, contra a cassação do correligionário Marcos Tito - penúltimo parlamentar cassado no governo Geisel -, contra a cassação de outros congressistas e denunciou o drama dos desaparecidos. "Para que não haja esposas que enviúvem com maridos vivos, talvez; ou mortos, quem sabe? Viúvas do quem sabe ou do talvez", disse à época.

    Três dias depois do discurso, Furtado se tornou o 173.º - e último - parlamentar cassado no País com base no AI-5.

    Em 1978, Depois que foi forçado para fora da vida política, ajudou seu filho, Heitor Alencar Furtado, a se eleger deputado estadual pelo Paraná com apenas 22 anos. Após a anistia, voltou à vida pública, sendo reeleito deputado federal em 1982 pelo PMDB. Ao longo da campanha, Heitor, que também buscava a reeleição na Assembleia Legislativa paranaense, foi assassinado a tiros por um policial.

    Furtado deixa a esposa, Miriam Alencar Furtado - com quem se casou em 1950 depois de os dois cursarem juntos a Faculdade de Direito do Ceará - e as filhas Stael, Thais e Dioneé. Ele era sogro dos ex-deputados federais Uldurico Pinto e Francisco Pinto.

    Repercussão

    O vice-presidente nacional do Cidadania, deputado federal Rubens Bueno, lamentou a morte. "Alencar Furtado foi, no Paraná e no Brasil, um grande aliado no combate ao regime nefasto que restringia liberdades e perseguia, cassava, torturava e assassinava adversários políticos. Sua atuação firme ajudou de forma decisiva em nossa luta pela abertura política e serviu de exemplo para vários jovens que lutavam por liberdade e democracia", disse Bueno, que é presidente estadual do Cidadania no Paraná, Estado que Furtado representou como deputado federal.

    Rubens Bueno lembra ainda que Alencar Furtado fazia parte dos chamados "autênticos" do MDB, em referência ao grupo mais incisivo do partido na luta contra a ditadura.

    O ex-senador emedebista Roberto Requião escreveu, em sua conta no Twitter: "O verdadeiro MDB do Paraná está de luto com o falecimento de Alencar Furtado". O senador Álvaro Dias (Pode-PR) também lamentou a morte. "Há dois anos reencontrei-me com ele e sua lucidez e inteligência ímpar", postou.

    "Morreu Alencar Furtado, um guerreiro firme e moderado que depois da luta e do fim da ditadura optou pelo recolhimento", publicou o senador Cristovam Buarque (Cidadania-DF).

    A direção nacional do MDB também emitiu uma nota em que o presidente do partido, deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), lamenta o falecimento.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Política

    Deixe seu comentário sobre: "Morre ex-deputado Alencar Furtado, símbolo da luta contra a ditadura"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.