Moro vê 'reação do sistema' para anular efeitos da Lava Jato - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Política

Moro vê 'reação do sistema' para anular efeitos da Lava Jato

Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

O ex-ministro da Justiça e ex-juiz Sérgio Moro afirmou, na segunda-feira, 7, que a Operação Lava Jato vive um momento de "reação do sistema". Em seminário que discutiu o futuro do combate à corrupção no Brasil, ele ainda criticou o que chamou de "tentativa de punição administrativa e disciplinar" de Deltan Dallagnol. O procurador, que deixou a coordenação da força-tarefa na semana passada, será julgado nesta terça-feira, 8, em dois processos disciplinares.

"É um momento de reação do sistema. O que nos leva, ao meu ver, a uma discussão relevante de que nós temos que construir melhores sistemas que garantam independência e autonomia dos órgãos de controle pra que nós tenhamos um cenário melhor", disse o ex-juiz. Segundo ele, existe um "establishment afetado pela Lava Jato".

As declarações de Moro foram feitas durante o 5º Seminário Caminhos contra a Corrupção, evento Organizado pelo Instituto Não Aceito Corrupção (Inac) e que teve a presença de acadêmicos, representantes da sociedade civil, e figuras de destaque da política e do Poder Judiciário. O seminário foi transmitido pelo Estadão e também pelo jornal El País e pelo site Poder360.

Recentemente, a Operação Lava Jato se tornou alvo de críticas do procurador-geral da República, Augusto Aras, e sofreu derrotas no Supremo Tribunal Federal (STF). Em uma delas, a Corte apontou parcialidade de Sérgio Moro e anulou condenação do doleiro Paulo Roberto Krug no caso Banestado.

Moro comparou o momento que a Lava Jato vive à Operação Mãos Limpas, da Itália. "O sistema reagiu principalmente aprovando leis que basicamente anularam boa parte do trabalho realizado, reduzindo penas e eliminando crimes. Algumas coisas estamos vendo de maneira semelhante." Como exemplo, o ex-juiz citou a aprovação, no ano passado, da Lei de Abuso de Autoridade. "Não deixa de ser um instrumento que acaba intimidando a atuação livre de procuradores e juízes."

Para especialistas, o combate à corrupção no País esbarra em uma tentativa de neutralização dos órgãos de controle. O professor de Direito Constitucional Joaquim Falcão, integrante da Academia Brasileira de Letras, disse haver atualmente uma "batalha" entre o funcionamento dos mecanismos de controle e aqueles que buscam anular os esforços dessas instituições.

Economista e advogada, Elena Landau lamentou o que chamou de desmonte da Operação Lava Jato. Ela opinou que esse movimento é um indicativo que, no Brasil, os incentivos para frear a corrupção estão mal colocados. "Desmontar a Lava Jato, ou trazer para julgamento casos no momento em que o Celso de Mello está de licença médica, para usar o desempate em favor do réu... Tudo isso é muito estranho, tudo isso confirma que o crime compensa".

Apesar dos empecilhos no funcionamento dos mecanismos de combate à corrupção, o cientista político Fernando Schüller disse ver com otimismo o funcionamento das instituições democráticas. "O pacto democrático que o Brasil fez nos anos 80 é muito forte e vem se preservando", analisou. "Não tem bala de prata para eliminar o problema de corrupção no País."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Moro vê 'reação do sistema' para anular efeitos da Lava Jato"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Candidatos

Não encontramos candidatos com o filtro selecionado.