Política

Lula critica Bolsonaro por visitar Rússia e ONU por ser 'decorativa'

Da Redação ·

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que deve disputar a Presidência da República em outubro deste ano, disse que parece piada que o presidente Jair Bolsonaro foi à Rússia dizendo que ia resolver a paz. Em tom de ironia, o presidenciável do PT ainda sugeriu que agora seria importante mandar Bolsonaro para a Ucrânia para ver se ele consegue resolver o problema lá.

continua após publicidade

Em vídeo publicado em sua conta no Twitter, o ex-presidente afirmou que Bolsonaro adora contar mentira e fazer fake news. "Ele foi lá (Rússia) e tentou passar para a sociedade que ele foi lá para uma missão. Ou seja, até hoje a gente não sabe o que ele foi fazer lá. Mas, de qualquer forma, essa questão da guerra é uma coisa delicada, é uma coisa complicada, que a gente não pode aceitar isso".

Lula criticou ainda a Organização das Nações Unidas (ONU) e disse que a entidade precisa levar em conta que ela não tem mais a representatividade que tinha quando foi criada, em 1945. "É importante ela (ONU) lembrar que a geográfica política do mundo mudou, é preciso colocar mais países para participar das Nações Unidas, do Conselho de Segurança. Não pode ser apenas cinco países que participaram da Segunda Guerra Mundial".

continua após publicidade

Segundo ele, é preciso que tenha representação da África, da América Latina, que participe a Índia, que participe o Japão, que participe a Alemanha. "É importante que se coloque mais países e aumente a capacidade de governança da ONU, que não seja uma instituição apenas decorativa, que seja uma instituição que tome decisões efetivamente".

Na fala, o ex-presidente afirmou também que a ONU poderia ter tomado decisões para evitar essa guerra, com muitas discussões e ter convocado uma Assembleia Geral das Nações Unidas. "Por que não convoca em caráter emergencial uma Assembleia para discutir essa questão da guerra, por que fica apenas entre quatro ou cinco pessoas que se acham do mundo, que são membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU?", questionou, acrescentando que, por isso, há a necessidade de o Brasil contribuir com intervenções duras para que se possa mudar a representatividade das Nações Unidas e tirar a ONU de ser uma coisa "decorativa". Nesta terça, 28, a Assembleia Geral da ONU realizou uma reunião emergencial com membros do Conselho de Segurança para discutir o assunto.

"O Putin precisa saber que o povo não precisa de guerra, mas de paz, de emprego, de renda, de educação. É disso que povo e a humanidade estão precisando neste instante", finalizou Lula.