Mais lidas

    Política

    Política

    Guedes fala em 'uso político' da pandemia e diz que governo 'tem que governar'

    Escrito por Da Redação
    Publicado em 01.06.2021, 15:37:00 Editado em 01.06.2021, 15:43:41
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, fez nesta terça-feira, durante audiência pública na Comissão de Educação da Câmara, uma defesa do governo do presidente da República, Jair Bolsonaro. Em diferentes momentos, ele afirmou que o momento é de "união" para enfrentar a pandemia e que é preciso deixar o governo eleito governar.

    Os comentários de Guedes surgem em um momento em que as políticas na área de saúde do governo Bolsonaro durante a pandemia são alvo da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado.

    No último sábado, 29, dezenas de milhares de pessoas saíram às ruas em todo o País para protestar contra o governo e pedir o impeachment de Bolsonaro.

    "Entendo os militantes de um lado e de outro que defendem suas convicções", afirmou Guedes aos parlamentares, para em seguida citar um suposto "uso político" da pandemia. "Vamos usar (a pandemia) com moderação", disse. "Este governo foi eleito. Tem que deixar governar."

    Guedes participou nesta terça, por meio virtual, de audiência pública na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, para tratar dos cortes orçamentários em universidades públicas e do orçamento do Ministério da Educação, entre outros temas.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Política

    Deixe seu comentário sobre: "Guedes fala em 'uso político' da pandemia e diz que governo 'tem que governar'"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.