Política

Em São Paulo, Lula tem 34%, Bolsonaro, 26% e Moro, 11%, diz pesquisa Ipespe

Da Redação ·

Pesquisa Ipespe divulgada nesta sexta-feira (18) mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como candidato favorito entre os eleitores de São Paulo, com 34% das intenções de voto no cenário estimulado. O presidente Jair Bolsonaro (PL) aparece na sequência, com 26%. Sergio Moro (Podemos) acumula 11% e Ciro Gomes (PDT), 7%.

continua após publicidade

O governador do Estado, João Doria (PSDB), aparece com 5% das intenções. André Janones (Avante), Simone Tebet (MDB) e Luiz Felipe d'Avila, que também disputam a vaga ao Planalto, aparecem com 1% cada um. Rodrigo Pacheco (PSD) fica abaixo disso.

Na pesquisa espontânea, Lula teve 30% das intenções de voto, Bolsonaro, 24%, Moro, 9%, Ciro, 6% e Doria, 4%. André Janones, Alessandro Vieira, Felipe D´Ávila, Simone Tebet e Rodrigo Pacheco foram mencionados, mas não chegaram a 1% de citações.

continua após publicidade

Segundo turno

Em um eventual segundo turno entre Lula e Bolsonaro, o petista teria 46% dos votos contra 34% do adversário entre os eleitores de SP. Se Lula enfrentasse Sergio Moro, ele acumularia 46% dos votos no Estado, enquanto Moro ficaria com 33%.

Se o petista enfrentasse Doria, teria 47% de intenções e o governador paulista, 26%, próximo dos votos brancos e nulos, que chegariam a 25% neste cenário.

continua após publicidade

Em uma possível disputa entre Doria e Bolsonaro, o placar ficaria apertado com o tucano pontuando 37% dos votos no Estado, enquanto o presidente teria 35%.

Avaliações

A pesquisa Ipespe mostra, ainda, que a avaliação negativa do governo Bolsonaro continua alta entre o eleitorado de São Paulo: 56% dos entrevistados consideram o governo ruim ou péssimo, enquanto 24% avaliam como ótimo ou bom. Aqueles que avaliam o governo regular são 19%. O cenário paulista repete a avaliação do governo em âmbito nacional.

continua após publicidade

Em relação à atuação do presidente no enfrentamento à pandemia do coronavírus, 58% dos eleitores classificaram como ruim ou péssima, enquanto 21% avaliaram como ótima ou boa. 19% acreditam que a gestão foi regular.

Segundo o levantamento, 36% dos entrevistados avaliaram o governo Doria como ruim ou péssimo, enquanto 24% consideram como ótimo ou bom. E 38% dos eleitores avaliam a gestão como regular.

Sobre ações do tucano no combate à pandemia, 23% consideraram como ruim ou péssima, enquanto 45% avaliaram como ótima ou boa. 30% classificaram como regular. Doria incorporou a bandeira de combate à covid-19 e de defesa à vacinação para alavancar apoio político. Ele foi apresentado pelo PSDB como "pai da vacina" por causa das articulações em torno da vacina Coronavac.

O levantamento divulgado nesta sexta-feira foi resultado de 1.000 entrevistas, representativas do eleitorado do Estado de São Paulo, feitas entre segunda (14) e quarta-feira (16). A margem de erro é de 3,2 pontos porcentuais. Esta pesquisa está registrada no TSE sob os protocolos BR-08006/2022 e SP-03574/2022.