Política

Em carta a Lula, PSB minimiza rivalidade histórica entre o petista e Alckmin

Da Redação ·

Em carta endereçada ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o PSB oficializa, nesta sexta-feira (8), a indicação do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, à chapa do petista. No documento, a legenda afirma que a disputa eleitoral não estará relacionada "aos embates de natureza histórica entre esquerda e direita", em referência à rivalidade entre as lideranças no passado. "O que estará em questão nas eleições de 2022 é o confronto decisivo entre democracia e autoritarismo", declara o documento.

continua após publicidade

Assinada pelo presidente do partido, Carlos Siqueira, a carta defende que a indicação do ex-tucano à vice "não se limita apenas ao aspecto eleitoral". "Esta proposição envolve uma dimensão programática, visto que a composição de uma frente ampla exige a formulação de um programa que corresponda às perspectivas das forças que a compõem", consta. "O PSB deseja contribuir na tarefa programática inerente à formação de uma frente ampla de forma produtiva e efetiva".

As lideranças de ambas legendas estão reunidas nesta sexta em um hotel da zona sul de São Paulo para discutir os próximos passos da aliança.

continua após publicidade

Frente ampla

Com críticas à gestão de Jair Bolsonaro (PL) e Michel Temer (MDB), o PSB defende a construção de uma frente ampla com na qual se associem "partidos de distintos matizes, mas francamente democráticos". Ao expor o nome de Alckmin à chapa, a sigla cita sua "vida pública longeva e honrada, a perseverança na defesa da democracia e das práticas que lhe correspondem , o equilíbrio daqueles que acreditam no diálogo entre os diferentes e a tranquilidade dos que almejam o bem público".