Política

Eduardo Bolsonaro chama Newton Cruz de 'herói nacional'

Da Redação ·

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (União Brasil-SP) fez uma publicação elogiosa sobre o general Newton Cruz, que morreu na última sexta-feira, 15, e o chamou de "herói nacional". O parlamentar prestou homenagem ao militar e afirmou que ele foi responsável por permitir que o Brasil continuasse "livre" a partir de 1964, em uma exaltação à ditadura.

continua após publicidade

"Morreu o General Newton Cruz, um grande herói da resistência brasileira contra o comunismo em favor da liberdade. Graças à ação dele e de inúmeros outros corajosos militares, nosso país seguiu livre em 1964. Obrigado pelos seus serviços, meus sentimentos à família. Brasil!", escreveu o deputado.

Newton Cruz foi chefe da Agência Central do Serviço Nacional de Informações (SNI) durante o regime militar, entre 1977 e 1983, e do Comando Militar do Planalto. Ele ficou conhecido, entre outras coisas, por não ter impedido o atentado no Riocentro, o mais emblemático de uma série de explosões provocadas por agentes da repressão, insatisfeitos com o processo de abertura política.

continua após publicidade

Na noite de 30 de abril de 1981, uma bomba explodiu em um carro Puma no estacionamento do centro de convenções, em Jacarepaguá, no Rio. À época, o inquérito policial militar instaurado pelo Exército atribuiu os fatos a terroristas de esquerda.

Décadas depois, em 2012, uma investigação mais ampla foi feita pelo Ministério Público Federal do Rio e concluiu que Cruz, que já era general e chefiava a Agência Central do SNI, soube do atentado de antemão e autorizou que fosse adiante. Os procuradores pediram pena mínima de 36 anos e seis meses de prisão, por homicídio tentado, formação de quadrilha ou bando, transporte de explosivos, fraude processual e favorecimento pessoal. Ele nunca foi condenado.