Política

Deputado destina mais R$ 700 mil para as pesquisas

O deputado federal Filipe Barros está destinando mais R$ 700 mil para as pesquisas relacionadas à mandiocultura no Paraná

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Deputado destina mais R$ 700 mil para as pesquisas
fonte: ASSESSORIA

O deputado federal Filipe Barros está destinando mais R$ 700 mil para as pesquisas relacionadas à mandiocultura no Paraná, por meio da Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas/BA), unidade de Londrina, onde estão sediados renomados pesquisadores atuantes no Paraná, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. A emenda apresentada por ele foi aprovada pelo orçamento Geral da União para 2022.

continua após publicidade

Esta é a segunda vez que Filipe Barros indica recursos para apoiar projeto de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias para estratégias e ação à cadeia produtiva da mandioca e derivados no Paraná. Em 2021 já foram destinados R$ 400 mil com este objetivo.

“Esta cadeia produtiva é um dos principais fatores de desenvolvimento da região Noroeste do Estado por isso nosso incentivo. Para o ano que vem, 2023, nossa proposta é de indicar mais R$ 500 mil em emendas parlamentares para a área, totalizando R$ 1,6 milhão”, afirmou Filipe Barros. É o maior volume de recursos destinados à pesquisa de mandioca no Paraná em curto espaço de tempo.

continua após publicidade

“Estamos em contato direto com lideranças do setor do agronegócio, como representantes da Associação Brasileira dos Produtores de Amido de Mandioca (ABAM) e do Sindicato Rural de Paranavaí e reconhecemos a importância econômica que a cultura da mandioca representa para a região que, além da produção, é um grande polo de transformação, concentrando grande número de indústrias processadoras da raiz que promovem milhares de empregos”, afirmou Filipe Barros.

Os recursos aprovados serão aplicados em apoio à produção como:  disponibilização de material propagativo de mandioca de qualidade genética e fitossanitária, estratégias para a recuperação do solo, o aumento da competitividade e da sustentabilidade dos sistemas de produção para a cultura da mandioca e, inclusive, produção da colheitadeira de mandioca.Unidade de Pesquisa – “Ainda como parte nosso compromisso contínuo no sentido de promover esta cadeia produtiva na região Noroeste, seguimos articulando junto à Embrapa Mandioca e Fruticultura para garantir a instalação de uma Unidade Mista de Pesquisa e Transferência de Tecnologia (UMIPTT) junto ao Instituto Federal do Paraná, em Paranavaí. Será perfeito para ampliarmos ainda mais este polo de desenvolvimento trazendo inovações e formando profissionais com foco nesta vocação regional”, ressaltou Filipe Barros.

O deputado destaca que para “o desenvolvimento de genótipos de novos cultivares, ou seja, novas variedades, torna-se necessário uma estratégia logística específica de pesquisa e transferência de tecnologia para que, além de fomentar os estudos relacionados ao cultivo da mandioca, os genótipos cheguem rapidamente aos produtores com qualidade fitossanitária, com garantias e certificações regulamentadas pelo Ministério da Agricultura.”

Filipe Barros lembrou que a próxima contratação da Embrapa Mandioca e Fruticultura, prevista para acontecer em 2023, deverá designar vagas específicas de pesquisadores para Paranavaí, utilizando o IFPR como instrumento de cooperação. “Esta informação nos foi assegurada, ainda no final do ano passado, pelo pesquisador Alberto Duarte Vilarinhos, Chefe da Embrapa Mandioca e Fruticultura”, disse o deputado federal.