Política

Correção: Bolsonaro lidera motociata em SP com cobrança de ingresso e 'área vip'

Da Redação ·

Na matéria publicada na última sexta-feira, dia 15, às 10h45, havia uma incorreção no quinto parágrafo que informava que a CCR Autoban administra o sistema Anchieta-Imigrantes. A concessionária administra o sistema Anhanguera-Bandeirantes. Segue o texto corrigido.

continua após publicidade

Acompanhado de centenas de motoqueiros, o presidente Jair Bolsonaro deixou, na manhã deste sábado, 15, a praça Campo de Bagatelle, próxima do Anhembi, na capital paulista, rumo à cidade de Americana, no interior de São Paulo. A pista sentido interior da Rodovia dos Bandeirantes ficará interditada para a passagem das motocicletas.

O grupo de motoqueiros que seguirá o presidente pagou uma taxa de inscrição de R$ 10 para a organização do evento, coordenado pelo grupo "Acelera para Cristo". O pagamento dá direito a uma espécie de 'área vip' da motociata, com presença na área fechada ao lado do Anhembi de onde o ato saiu, além da possibilidade de viajar mais próximo de Bolsonaro nos 120 quilômetros até Americana.

continua após publicidade

Anteriormente, o destino seria Campinas, mas o local de chegada foi alterado.

O chefe do Executivo participou da primeira edição do evento em junho do ano passado. É uma espécie de versão "cristã" de outras motociatas que já ocorreram em apoio ao presidente. O ato é organizado por apoiadores do presidente, como Jackson Villar, influenciador evangélico e bolsonarista.

Segundo a concessionária CCR Autoban, que administra o sistema Anhanguera-Bandeirantes, a Rodovia dos Bandeirantes será interditada a partir do km 13, junto à Marginal Tietê, até o km 134, no entroncamento com a Rodovia Luiz de Queiroz (SP-304). A pista deve ser liberada a partir das 15 horas.

Bolsonaro já acompanhou motociatas em Brasília, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Goiás, Santa Catarina, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. A primeira presença do presidente nesse tipo de evento ocorreu em maio de 2021, na capital federal. Depois, seguiram-se diversas ocasiões. Ele já aproveitou esses episódios para fazer ataques às urnas eletrônicas, às vacinas contra a covid e aos ministros do TSE e STF, além de já ter sido multado por não usar máscara e cometido infração por usar capacete irregular.