Política

Câmara, Senado e Supremo São os mais rejeitados, diz pesquisa

Da Redação ·

O bacharel em humanidades Gabriel da Hora, de 23 anos, e o estudante de filosofia Rodrigo Carneiro, de 22, creem na importância das instituições e do jogo democrático, mas avaliam negativamente tanto a Câmara dos Deputados como o Senado Federal. "Tenho uma descrença muito grande nessas instituições", afirmou Hora.

continua após publicidade

A percepção de ambos é retratada em uma pesquisa realizada pela Genial/Quaest que mostra como os brasileiros avaliam as principais instituições do País. A Câmara dos Deputados, o Senado Federal e o Supremo Tribunal Federal (STF) ocupam as piores posições no quesito popularidade, de acordo como o levantamento.

Instituição mais mal avaliada no levantamento, a Câmara tem rejeição de mais de 40% tanto entre pessoas que se identificam com a esquerda quanto de centro e de direita. A avaliação positiva não passa dos 20% entre todos os espectros.

continua após publicidade

A avaliação do STF é puxada para baixo por pessoas que avaliam positivamente o governo do presidente Jair Bolsonaro: 52% dos apoiadores do governo avaliam negativamente a Corte, enquanto entre os classificados como "neutros críticos" esse número é de 24%. Entre os críticos do governo, a avaliação positiva da instituição é de 25%. Já Polícia Federal, Forças Armadas e Polícia Militar estão no topo do ranking.

"A agenda de Bolsonaro parece ter eco na sociedade", afirmou o cientista político Felipe Nunes, da Quaest, que realizou a pesquisa. Polícia Federal (64%), Forças Armadas (58%) e Polícia Militar (52%) ocupam, respectivamente, primeira, segunda e quarta posições em avaliações positivas. "O discurso antissistema continua tendo apelo eleitoral. Ele fala aquilo que tem ressonância na sociedade como um todo", observou o pesquisador.

A coleta dos dados foi feita entre os dias 26 e 29 de agosto, em entrevistas presenciais, com população com 16 anos ou mais residentes em 95 municípios das cinco regiões do País. Ao todo, foram 2.000 pessoas ouvidas. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos e a taxa de confiança é de 95%.

continua após publicidade

Para Rodrigo Carneiro, estudante de filosofia da Universidade Federal do Ceará que se identifica como liberal, o STF "realiza ações além do poder dele" e "ultimamente levanta ações que estão sendo fora da esfera judiciária". Ele acredita, porém, que os juízes fazem um bom trabalho e por isso vê a atuação do Supremo como regular.

Forças

continua após publicidade

Instituição que ganhou ainda mais força no governo Bolsonaro, as Forças Armadas só não têm índice superior a 50% de aprovação entre a esquerda (44%), quem avalia negativamente o governo (46%) e mulheres (50%). Entre os apoiadores de Bolsonaro, a avaliação favorável chega aos 80%.

O estudante de Direito na Universidade Federal da Bahia Gabriel da Hora, que se identifica como de esquerda, avalia como negativa as Forças Armadas e a Polícia Militar, e como regular a Polícia Federal. "São todas instituições que estão próximas e presentes da população hoje em dia. Por isso, acredito que as pessoas as avaliam bem", afirmou.

À exceção das instituições de polícia, eleitores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva têm avaliação mais positiva sobre todas as outras instituições do que bolsonaristas e eleitores da terceira via, de acordo com o levantamento.