Política

Bolsonaro usa cerimônia de posse de novos ministros para defender ditadura militar

Da Redação ·

O presidente Jair Bolsonaro (PL) ignorou a história brasileira e, para defender a ditadura, disse que "nada" ocorreu em 31 de março de 1964, dia do golpe militar que derrubou o então presidente João Goulart e deu início ao regime de exceção. O golpe completa 58 anos nesta quinta-feira, 31.

continua após publicidade

"31 de março. O que aconteceu nesse dia? Nada. Nenhum presidente da República perdeu o mandato nesse dia", disse o presidente na cerimônia de posse de novos ministros no Palácio do Planalto. "Congresso, com quase 100% dos presentes, elegeu Castello Branco presidente à luz da Constituição".

Bolsonaro elogiou obras faraônicas do período militar - que foram focos de corrupção - e ainda fez comparações entre a ditadura e o seu governo.

continua após publicidade

"O que seria da Amazônia sem Castello Branco, que criou Zona Franca de Manaus? Todos aqui tinham direito, deputado Silveira, de ir e vir", afirmou o chefe do Executivo ao deputado Daniel Silveira (União Brasil-RJ), que está sob medidas restritivas por atentar contra a democracia. "A composição dos ministérios (na ditadura) era parecida com os meus ministérios", acrescentou.