Política

Bolsonaro: se mataram desaparecidos, estão dentro d'água e pouca coisa vai sobrar

Eduardo Gayer (via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

O presidente Jair Bolsonaro comentou nesta quarta-feira, 15, sobre o desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Philips. "Pelo que tudo indica, se mataram os dois, espero que não, estão dentro d'água. E dentro d'água pouca coisa vai sobrar, peixe come, não sei se tem piranha no Javari", disse o chefe do Executivo em entrevista a um canal no YouTube. "A gente lamenta, pede que nada tenha acontecido", acrescentou, em seguida.

continua após publicidade

Bolsonaro chamou a viagem de Dom Philips de "excursão" na entrevista. "Esse inglês era mal visto na região, fazia muita matéria contra garimpeiros, questão ambiental. Então naquela região bastante isolada, muita gente não gostava dele. Deveria ter segurança mais que redobrada consigo próprio", afirmou o presidente. "Os dois resolveram entrar numa área completamente inóspita sozinhos, sem segurança e aconteceu problema", acrescentou. "É muito temerário você andar naquela região sem estar preparado fisicamente e também com armamento devidamente autorizado pela Funai, que pelo que parece não estavam".

Como mostrou o Estadão, cartéis de drogas de Miami, Medellín e Sinaloa mantêm uma espécie de Estado paralelo no entorno do Vale do Javari, onde desapareceram Bruno e Dom, que com seus trabalhos ainda "ameaçavam" os interesses de garimpeiros criminosos no local.