Política

Beto Preto se desliga da Sesa e fica apto para a eleição

O ex-prefeito de Apucarana continua na equipe de governo de Ratinho Júnior e define nos próximos dias se sai candidato a deputado federal ou ao Senado

Da Redação ·
Beto Preto deixa a Sesa, mas continua na equipe de governo de Ratinho Júnior
fonte: TNonline/arquivo
Beto Preto deixa a Sesa, mas continua na equipe de governo de Ratinho Júnior

O ex-prefeito de Apucarana e secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, será oficialmente exonerado na tarde desta sexta-feira (1º.), tanto da Sesa quanto da presidência do conselho curador da Fundação Estatal de Atenção em Saúde do Estado do Paraná (Funeas), ficando apto para ser candidato nas eleições desse ano.

continua após publicidade

Ele fica à disposição das articulações políticas a pedido do governador Ratinho Júnior. “Ele é quem escala o time nesse xadrez político e estou nesse projeto dele. Seguindo a liderança do governador Ratinho Junior, e agradecido pela oportunidade, aceitei a orientação do nosso comandante político”, diz.

Beto Preto, no entanto, segue no governo do Paraná. Servidor público federal como médico perito, ele é e continua cedido ao governo do Paraná. Até a próxima semana, Beto Preto deverá saber onde exatamente vai atuar na equipe de governo, se assessor especial na Casa Civil ou na governadoria.

continua após publicidade

Mas Beto não sabe, ainda, qual vaga vai disputar nas eleições, se de deputado federal ou ao senado. “Meu nome está à disposição do governador para o cargo que achar melhor, se achar que devo voltar inclusive para secretaria de saúde, volto. Eu jogo no time do governador”.

No entanto, se perguntarem a ele sobre suas preferências, a Câmara Federal seria o alvo. “Na estratégia pessoa, como agente político, a ideia sempre foi sair a deputado federal”, explica. “Sou ex-prefeito de Apucarana, moro em Apucarana. A nossa cidade está a 32 anos sem um deputado federal. Nosso último foi o Carlos Scarpelini, em 1990”, lembra.

Emocionado, Beto Preto diz que se desligar da Sesa nesse momento, lhe causa a mesma sensação de quando deixou a prefeitura de Apucarana para atender o chamado do governador Ratinho Júnior. “É a mesma emoção, de boca seca, muito sensibilizado”, diz.

continua após publicidade

Pela manhã, hoje (31), Beto percorreu diversas salas da Secretaria de Saúde, para agradecer à equipe. “Foi emocionante”, resume. Ele aproveitou para agradecer também “à família, que suportou tudo isso, a Adriana minha esposa, aos meus filhos, sogro, sogra. E agradecendo a eles todos, agradeço a todas as famílias de Apucarana, minha casa. Estou em Curitiba cumprindo minha missão”. 

LEGADO

Beto Preto ainda não consegue definir com precisão sua experiência frente à Secretaria de Estado da Saúde. “É um tema de tanta profundidade, tão complexo, que é difícil até de ser dimensionado com precisão”, comenta, sobre sua saída da prefeitura para assumir a secretaria de Estado para ser atropelado pela história, com a pandemia. “A gente vinha discutindo a regionalização da saúde e veio a pandemia e nos colheu a todos. Nos momentos mais críticos, praticamente morava na Sesa, tivemos um momento em que só tínhamos medicamentos para no máximo dois dias e estávamos com mais de 5 mil doentes internados em macas. Foram momentos dramáticos. Teve um momento que nem chorar conseguia mais porque já tinha chorado tudo. Aí veio o luto coletivo”, lembra, novamente tentando conter a emoção, antes de mudar o tom. “Mas aí a esperança renasce né! Temos um legado. Apucarana mesmo, tinha apenas 10 leitos de UTI cadastrados junto ao Ministério da Saúde. Hoje já são 28 UTIs que ficam. É assim em todo o Estado”, exemplifica, lembrando que durante a pandemia também houve a formação qualificada de recursos humanos, especialmente nos cuidados de urgência e emergência.

continua após publicidade

Administrativamente, destaca Beto Preto, a Sesa foi reorganizada basicamente em duas equipes durante a pandemia. “Uma equipe era para dar conta da pandemia e outra para a ação estratégica, para os investimentos não pararem”.

Segundo ele, foi assim que a Sesa conseguiu, recentemente, liberar R$ 250 milhões para 348 obras em mais de 200 cidades paranaenses, outros R$ 127 milhões para os ambulatórios médicos de especialidades em nove municípios estratégicos regionalmente ou para mais de 30 municípios com obras de hospitais locais e santas casas.

“Nosso sentimento nesse momento é de que vamos continuar avançando, que Deus coloca as missões e estamos aqui para cumpri-las. É a primeira vez que apucaranense ocupa cargo importante no Paraná. E vamos continuar trabalhando pelo Paraná, junto com o Ratinho Junior, que está fazendo trabalho incrível. Temos um legado para mostrar como resultado de nosso trabalho”, afirma.

Veja:    null - Vídeo por: Reprodução