Política

Aziz diz que divulgação de documento sigiloso corresponde à infração parlamentar

Da Redação ·

Começou na manhã desta terça-feira, 25, sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado. O início dos trabalhos se deu com um aviso do presidente do colegiado, senador Omar Aziz (PSD-AM), advertindo os parlamentares de que a divulgação e o vazamento de documentos sigilosos corresponde à infração parlamentar, pedindo cautela dos senadores para evitar que isso ocorra.

continua após publicidade

De acordo com Aziz, é a CPI da Covid é a que mais tem recebido documentos no Senado. Segundo ele, ao longo do último mês, foram autuados pela secretaria da comissão 300 gigabytes de documentos, sendo 100 gigabytes de documentos sigilosos. Como exemplo, Aziz apontou que a CPI da Fake News conta, atualmente, com cerca de 5 gigabytes de documentos recebidos.

O presidente da comissão reforçou que o vazamento de documentos sigilosos por parlamentares constitui violação do regimento interno do Senado, e pode configurar infração ético disciplinar a senadores, e para servidores, o vazamento pode resultar em demissão.

continua após publicidade

O colegiado escuta, nesta terça-feira, a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como Capitã Cloroquina. A médica fez sua introdução na sessão por volta das 10h.