Facebook Img Logo
Mais lidas
Política

PF prende ex-secretário de Cabral suspeito de desvios em presídios

.

FELIPE BÄCHTOLD

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Policiais federais estão nas ruas na manhã desta terça-feira (13) para cumprir mandados de prisão em uma nova fase da Lava Jato do Rio.

O foco da operação, batizada de "Pão Nosso", são supostas irregularidades na Secretaria de Administração Penitenciária do estado. Pela primeira vez, o Ministério Público Estadual participa da ação.

Um dos alvos de mandados de prisão é o ex-secretário da pasta César Rubens de Carvalho, que é coronel da Polícia Militar. Ele foi comandante de batalhões na região metropolitana e esteve à frente da secretaria também durante parte do mandato do atual governador, Luiz Fernando Pezão (MDB).

Outro suspeito é Marcelo Martins, que hoje chefia o Departamento de Polícia Especializada da Polícia Civil fluminense. O setor engloba importantes delegacias estaduais, como a do aeroporto internacional e a de crimes contra a Fazenda.

Segundo o Ministério Público do Estado, havia um esquema que desviava recursos de um contrato de lanches oferecidos no sistema penitenciário do Rio. Os prejuízos aos cofres públicos são estimados em R$ 44,7 milhões.

A Polícia Federal informou que são cumpridos 14 mandados de prisão preventiva e dez de prisão temporária. As ordens partiram tanto do juiz federal Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio, quanto da 35ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do estado.​​​​​

OUTRAS INVESTIGAÇÕES

César Rubens de Carvalho é mais um secretário da gestão de Sérgio Cabral (MDB) a ser preso na Lava Jato. Antes dele, já tinham sido detidos Régis Fichtner (Casa Civil), Sérgio Côrtes (Saúde), que foram soltos, Hudson Braga (Obras) e Wilson Carlos (Governo).

Em meio à intervenção federal no Rio, esta é a maior investigação da Lava Jato fluminense na área da segurança, que está desde fevereiro sob o comando das Forças Armadas.

Contratos antigos da Secretaria de Administração Penitenciária já vinham sendo objeto de investigação de promotores e da nova direção da pasta.

Em janeiro, a Justiça mandou afastar o então secretário estadual Erir Ribeiro Costa Filho após a divulgação de supostos privilégios ao ex-governador Sérgio Cabral (MDB) na cadeia pública de Benfica, no Rio.

Assumiu David Anthony, que é delegado da Polícia Civil fluminense, e que foi mantido no cargo mesmo com a intervenção federal na área da segurança no estado.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Política

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber