Facebook Img Logo
Mais lidas
Política

Lula se compara a preso político após STJ negar habeas corpus

.

CATIA SEABRA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva gravou, na terça-feira (6), um vídeo em que compara sua situação à de um preso político. Vestindo uma camiseta amarela, o petista diz ainda que, apesar das recomendações para que busque asilo no exterior, permanecerá no Brasil ainda que condenado à prisão. “Se não provarem um real na minha conta, um dólar na minha conta, uma telha na minha conta que não seja minha, terei que ser considerado um preso político”, afirma o ex-presidente.

O vídeo foi gravado no mesmo dia em que o STJ (Superior Tribunal de Justiça) negou pedido de habeas corpus preventivo apresentado por sua defesa para impedir sua prisão antes que esgotadas todas as etapas do julgamento. Lula foi condenado em segunda instância. “Eles vão ter que arcar com o preço de decretar minha prisão”, afirmou ele.

ENTENDA O CASO

Em janeiro, Lula foi condenado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva em segunda instância, pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), que aumentou a pena do petista no caso do tríplex em Guarujá (SP) para 12 anos e um mês de prisão em regime fechado.

A defesa do ex-presidente pediu ao STJ um habeas corpus preventivo para afastar a possibilidade de prisão antes de esgotados todos os recursos nos tribunais superiores —a chamada execução provisória da pena, que passou a ser autorizada pelo Supremo em 2016.

Durante o recesso judiciário, o ministro Humberto Martins, vice-presidente do STJ, estava de plantão e negou o habeas corpus em caráter liminar. A defesa recorreu e, nesta terça, o colegiado negou o pedido.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas de Política

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber