Facebook Img Logo
Mais lidas
Política

Em abertura do Congresso, Eunício deve silenciar sobre Previdência

.

TALITA FERNANDES

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em discurso de abertura das atividades legislativas, o presidente do Congresso, Eunício Oliveira (MDB-CE), vai defender uma agenda de melhorias em segurança pública.

Eunício deve abordar a necessidade de os parlamentares darem continuidade à aprovação de medidas econômicas este ano. Porém, ele deve deixar de fora de sua fala a reforma da Previdência, uma das principais propostas do governo de Michel Temer para este ano.

Mesmo com dificuldades para obter a quantidade mínima de 308 votos, o governo quer aprovar a medida ainda neste mês na Câmara.

O Congresso inicia as sessões nesta segunda-feira (5) em sessão conjunta da Câmara e do Senado, marcada para 17h. Durante o evento está prevista ainda a entrega de uma mensagem do presidente Michel Temer, que deve ser levada por algum de seus ministros.

Candidato à reeleição ao Senado pelo Ceará, o emedebista realizou nesta última semana uma agenda entre o governador de seu Estado, Camilo Santana (PT), e Temer para discutir problemas em presídios locais. Uma briga entre presos deixou dez mortos esta semana.

A pauta de segurança pública foi destacada como prioridade por Eunício no início do segundo semestre de 2017, mas o Senado não apresentou um cronograma de pautas e prioridades sobre o tema.

APELO ELEITORAL

O tema também é de interesse do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cujo Estado vem enfrentando uma forte crise de segurança. O assunto tem apelo eleitoral, especialmente num momento em que Maia tem dado sinais de que pretende disputar a Presidência da República nas eleições de outubro.

Eunício tem evitado se comprometer com a reforma da Previdência publicamente. Em conversa esta semana com o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, ele disse que o tema ainda está restrito à Câmara e que entende a importância do assunto, mas que aguarda a votação dos deputados para se posicionar.

A reforma da Previdência deve ser ainda alvo de protestos da oposição. O PT e outros partidos de esquerda, como PDT, PSOL, Rede e PC do B organizam um ato para a tarde de terça-feira (6) na Câmara dos Deputados.

O evento de terça deverá ainda servir de desagravo sobre o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi condenado na semana passada em julgamento realizado no TRF da 4ª Região. A confirmação da pena em segunda instância abre espaço para que Lula seja impedido de concorrer à Presidência da República em outubro.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Política

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber