Facebook Img Logo
Mais lidas
Política

Para Marun, nomeação de Cristiane Brasil para Trabalho não é 'imoral'

.

GUSTAVO URIBE

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou nesta segunda-feira (15) não considerar imoral a indicação para o comando do Ministério do Trabalho de alguém que sofreu condenação trabalhista.

Indicada pelo seu pai Roberto Jefferson, a deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) foi condenada a pagar R$ 60 mil por dívidas trabalhistas a um de seus ex-motoristas. Ela também fez acordo com outro profissional, pagando R$ 14 mil para evitar nova condenação.

Os dois alegaram que cumpriam jornadas superiores a 12 horas e que ela não pagou horas extras, férias, 13º salário, FGTS e verba rescisória na demissão.

"Eu não considero nem amoral nem imoral todos aqueles que, em algum momento de suas vidas, principalmente aqueles que são empregadores, perderam ações na Justiça do Trabalho. Não considero essas pessoas, a principio, nem imorais nem amorais", disse.

Para o ministro, o juiz Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal de Niterói, "se equivocou" ao ter concedido liminar que impediu a posse da parlamentar no cargo de ministra.

EMBARGO

Como o TRF (Tribunal Regional Federal) da 2ª Região manteve a suspensão da cerimônia, o presidente Michel Temer ingressou com um embargo de declaração, na última sexta-feira (12), questionando a competência do juiz de primeira instância.

"A Cristiane Brasil, neste momento, é uma questão do Poder Judiciário. O governo recebeu uma sugestão do PTB, entende que ela tem condições de ser uma boa ministra e a Constituição Federal determina que é um ato privativo do presidente a nomeação e exoneração de ministros", disse Marun.

A indicação dela foi um reconhecimento do presidente ao seu pai, Roberto Jefferson, que atuou diretamente para que o PTB fechasse questão em apoio à reforma da Previdência.

O principal cotado caso ela seja suspensa de novo é o deputado federal Sérgio Moraes (PTB-RS), que em 2009 causou polêmica ao dizer que estava "se lixando para a opinião pública".

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas de Política

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber