Mais lidas
Política

Temer grava vídeo para mostrar disposição e agradecer deputados

.

MARINA DIAS

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Após passar a quarta-feira (25) no hospital com problemas urológicos, mesmo dia em que conseguiu uma vitória mais magra na Câmara para sepultar a denúncia contra ele, o presidente Michel Temer gravou um vídeo para agradecer aos 251 deputados por "reafirmarem o compromisso" com seu governo.

"Não poderia deixar também de agradecer a todas as deputadas e deputados, que na votação de ontem, reafirmaram o compromisso comigo e com o nosso governo", dirá Temer no vídeo gravado na manhã desta quinta (26) no Palácio do Jaburu.

Segundo auxiliares do presidente, a peça, que será divulgada nas redes sociais, também tem o objetivo de mostrar Temer bem disposto depois do susto de quarta.

O peemedebista sentiu um desconforto, segundo a assessoria, na manhã do dia em que a Câmara votou o prosseguimento da segunda denúncia contra ele —desta vez por obstrução da Justiça e organização criminosa— e precisou ir ao hospital, onde passou por um procedimento de desobstrução do canal da uretra, no qual foi sedado.

No início da tarde, o plenário da Casa foi tomado por tensão entre aliados e oposicionistas de Temer. Sem informações precisas sobre o que acontecia com o presidente, deputados confidenciaram em reservado que esperavam o pior.

Temer foi diagnosticado com obstrução parcial da aorta nas últimas semanas, mas o problema desta quarta não tem relação com isso, segundo os médicos.

Nesta quinta, o peemedebista despachou com alguns assessores e deve cumprir agenda no Palácio do Planalto na parte da tarde.

VITÓRIA MENOR

O placar de 251 dos 513 deputados desta quarta mostrou que a base aliada a Temer diminuiu e que o presidente não controla mais nem mesmo metade da Câmara.

Ministros e líderes governistas trabalhavam para que a vitória de Temer fosse igual ou maior que a de agosto, quando o peemedebista sepultou a primeira denúncia contra ele com 263 votos.

Mas Temer não conseguiu o feito mesmo com a liberação de cargos e emendas, além de atender a pleitos históricos da numerosa e poderosa bancada ruralista, que emplacou, entre outras medidas, regras que dificultam a demarcação de terras indígenas, facilitam renegociação de dívidas rurais, enfraquecem a proteção ambiental e o combate ao trabalho escravo.

A ideia do presidente no "day-after" é tentar fazer avançar no Congresso sua agenda econômica mas, sem grande força legislativa, terá de duelar pela condução da pauta com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que saiu ligeiramente fortalecido com a vitória mais magra de Temer.

O presidente terá de reorganizar sua base. O Planalto ameaçou punir os parlamentares aliados que votassem contra Temer mas, diante do número de dissidentes —em partidos como o próprio PMDB, o DEM e o PSDB— terá que refazer o cálculo.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber