Mais lidas
Política

Funaro diz que recebeu na Suíça R$ 12 milhões para Picciani; assista

.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O operador financeiro Lúcio Funaro afirmou em depoimento à Procuradoria-Geral da República que recebeu 5 milhões de francos suíços em 2014 a pedido do ex-deputado Eduardo Cunha para financiar campanha de candidatos a deputado do PMDB do Rio.

Funaro disse que foi informado por Cunha de que o repasse fora acertado entre o presidente regional da sigla, Jorge Picciani (PMDB-RJ), e o empresário Jacob Barata Filho.

"Ele disse: 'Esse dinheiro é do Jacob Barata. É um dinheiro que ele acertou com o Picciani de doação de campanha. Vai ser usado, se não me engano, metade para campanha de deputados federais, e metade para a campanha de deputados estaduais do PMDB do RJ'", declarou ele a procuradores.

A reportagem teve acesso à gravação em vídeo do depoimento prestado por Funaro à PGR no dia 23 de agosto deste ano. O acordo de colaboração foi homologado pelo ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Funaro declarou ter recebido o dinheiro no banco suíço Audi -naquele ano, os 5 milhões de francos suíços valiam, ao menos, R$ 12 milhões. O operador disse que Cunha o orientou a converter os valores em reais em espécie, a serem entregues "na medida do possível".

"Entreguei 99% do dinheiro para ele [Eduardo Cunha] e uma vez só foi feita para uma pessoa em nome do Picciani no meu escritório em São Paulo. Essa pessoa se apresentou como Milton", disse Funaro.

OUTRO LADO

Picciani afirmou, em nota, que a declaração é "uma mentira".

"Não conheço o Sr. Lúcio Funaro. Nunca sequer o vi. Se em sua delação, ele afirma isso, ele mente. É um desqualificado e mentiroso. Não tenho operador nem assessor de nome Milton. Nunca recebi nada do deputado Eduardo Cunha, em momento algum", declarou.

A defesa de Jacob Barata Filho afirmou, em nota, que "que é falsa e caluniosa a história alegadamente narrada pelo delator". Ela também disse repudiar "os boatos sobre depoimentos cuja existência ou eventual teor é desconhecido da defesa".

A defesa de Eduardo Cunha não foi localizada para comentar o depoimento.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber