Mais lidas
Política

Para advogado de Temer, revelação de Janot deveria adiar nova denúncia

.

RUBENS VALENTE

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O advogado do presidente Michel Temer, Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, disse que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deveria deixar de apresentar uma suposta nova denúncia contra Temer e aguardar a posse da nova chefe da PGR (Procuradoria-Geral da República), a procuradora Raquel Dodge, marcada para o próximo dia 18.

Para Mariz, a revelação feita nesta segunda-feira (4) por Janot de que o acordo de delação fechado com a empresa de carnes JBS está sob risco de cancelamento deveria gerar uma "cautela" no procurador-geral. Há rumores de que Janot irá apresentar uma nova denúncia contra Temer nos próximos dias com base em investigação iniciada com a delação dos donos da JBS.

"Não sei se haverá nova denúncia. O que posso dizer a você é que, em face do que foi revelado hoje [segunda-feira], seria de providencial cautela que o procurador-geral aguardasse essa fase de transição e deixasse para que a nova chefia da sua instituição resolver, avaliando as provas, se deverá ou não oferecer nova denúncia", disse o defensor de Temer.

Segundo o advogado, a apresentação de uma nova denúncia pode estar "viciada". "Eu, se fosse ele, deixaria que a nova procuradora-geral decidisse essa questão. Acho que qualquer medida que ele venha a tomar atitude agora será açodada e poderá estar viciada por um caráter emocional incompatível com o oferecimento de acusação contra o presidente da República."

Mariz disse que mantém todas as "críticas e opiniões a respeito da atuação do procurador-geral", mas faz "agora uma ressalva de que ele está agindo como um verdadeiro fiscal do cumprimento da lei ao denunciar essas irregularidades".

"Espero que doravante ele não aja de forma açodada e descuidada como agiu ao oferecer a denúncia anterior, para que não se cometam novas injustiças que só colocam em xeque a credibilidade da própria Procuradoria-Geral da República", disse o advogado.

Mariz afirmou que nesta terça-feira (5) irá solicitar ao STF (Supremo Tribunal Federal) acesso às novas gravações que, segundo Janot, foram entregues pela JBS na semana passada.

Pedido semelhante Mariz tem feito ao STF, sem sucesso, desde julho passado para ter acesso a sete gravações que, segundo laudo pericial da Polícia Federal, haviam sido descobertos e recuperados da memória de dois gravadores entregues pela JBS à PGR, mas não houve decisão judicial a respeito. A PGR se manifestou contrária ao pedido do advogado.

"Não recebi nada. Lá atrás, várias vezes [pedi], e não consegui nada. É mais fácil vocês da imprensa terem acesso primeiro do que eu. Infelizmente tem sido assim. Não houve deferimento às minhas postulação, mas também não houve indeferimento. Não houve decisão", disse o advogado de Temer.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber