Mais lidas
Política

Em escapada da imprensa, Temer janta pato laqueado em Pequim

.

GUSTAVO URIBE, ENVIADO ESPECIAL

PEQUIM, CHINA (FOLHAPRESS) - Em sua última noite em Pequim, o presidente Michel Temer encontrou neste sábado (2) uma brecha na agenda de compromissos para jantar pato laqueado, um prato típico da culinária oriental.

O peemedebista levou parlamentares e ministros, que integram a comitiva chinesa, ao Duck de Chine, considerado um dos melhores restaurantes da capital chinesa.

Para o encontro que era discutido desde a tarde, mas que não foi informado à imprensa brasileira, foram mobilizadas a segurança presidencial e uma comitiva de veículos para transportar o grupo do peemedebista.

O preço médio por pessoa varia de R$ 72 a R$ 192 no restaurante, de acordo com sites especializados em gastronomia. Em tom descontraído, o presidente foi sem gravata e fez piada com o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Fábio Ramalho (PMDB-MG).

Segundo ele, o parlamentar terá agora de aprender a laquear leitão. O prato mineiro costuma ser servido pelo deputado federal em encontros políticos e foi levado no avião presidencial na viagem à China.

No jantar, de acordo com presentes, o presidente evitou comentar as acusações feitas pelo empresário Joesley Batista, que chamou o peemedebista de "ladrão". Nas palavras de um parlamentar, o assunto poderia azedar o encontro.

O assunto causou mal-estar na comitiva presidencial desde sexta-feira (1º). Em conversas reservadas, o peemedebista voltou a criticar o executivo e disse que ele tem atuado com o único objetivo de prejudicá-lo.

O presidente passou a maior parte do jantar falando sobre os acordos fechados na China e passando orientações sobre o encontro dos Brics, que terá início na segunda-feira (4) em Xiamen.

Além do jantar, o presidente também deu escapadas na capital chinesa para fazer caminhadas. Ele caminhou por uma hora dois dias seguidos em um parque vizinho ao hotel em que ficou hospedado.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber