Mais lidas
Política

PF encontra relógio falsificado entre itens de ex-secretário de Cabral

.

ITALO NOGUEIRA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Perícia da Polícia Federal apontou que um relógio Rolex apreendido no apartamento do ex-secretário de Obras do Rio Hudson Braga, preso desde novembro na Operação Calicute, é falsificado.

O laudo foi feito para avaliar os bens apreendidos para realização de leilão. O juiz Marcelo Bretas determinou a venda para pagamento de multas em caso de eventuais condenações.

Foram avaliados 13 relógios das marcas Tissot, Montblanc, Cartier e Bulgari. Eles variaram de R$ 700 a R$ 14 mil. O único Rolex do lote, contudo, foi considerado "inautêntico". Para a PF, é um "produto não condizente com os padrões da marca ostentada". A perícia não atribuiu nenhum valor ao item.

Braga era, segundo o Ministério Público Federal, o responsável a chamada "taxa de oxigênio" -1% adicional aos 5% cobrados pelo ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), segundo as investigações. Em depoimento, o ex-secretário confirmou a cobrança, mas afirmou que ela era distribuída para diversos funcionários da pasta.

A Justiça Federal já vendeu dois carros do ex-secretário, tendo arrecadado R$ 263,9 mil. Outros dois automóveis serão leiloados num segunda tentativa, com preços 20% menores.

Bretas já marcou para o dia 3 de outubro o leilão dos bens de Cabral e Adriana Ancelmo. Todos foram em R$ 12,4 milhões, sendo o mais caro uma casa em Mangaratiba (R$ 8 milhões). As joias da ex-primeira-dama ainda não estão disponíveis para arremate.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber