Mais lidas
Política

Governo opera e partidos ameaçam punir quem votar contra Temer

.

BRUNO BOGHOSSIAN

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em uma operação conjunta da base do governo Michel Temer, três dos maiores partidos da Câmara vão tentar aprovar uma medida que pode obrigar seus deputados a votarem contra a denúncia apresentada contra o presidente.

PMDB, PP e PR marcaram reuniões para esta quarta-feira (12) para definir o chamado fechamento de questão a favor de Temer, que determina que todos os deputados devem acompanhar a orientação do partido na votação. Quem se posicionar contra sua legenda pode, em tese, sofrer punições que chegam à expulsão do partido.

Juntos, essas três legendas têm 148 deputados. Temer precisa do apoio de 172 parlamentares no plenário para que a denúncia seja rejeitada, evitando a abertura de um processo contra o presidente no STF (Supremo Tribunal Federal).

Essa operação foi coordenada pelos líderes da base governista, que buscam garantias de que Temer terá uma maioria robusta a seu favor no plenário no dia da votação da denúncia.

A medida também ajudaria o governo a garantir quorum para a votação -uma vez que existe a possibilidade de o tema ser levado ao plenário na sexta-feira (14) ou na segunda-feira (17), dias tradicionalmente esvaziados na Câmara.

Apesar do movimento em bloco, os partidos podem enfrentar dificuldades para aprovar o fechamento de questão a favor de Temer, uma vez que algumas dessas bancadas estão rachadas.

O PR, por exemplo, teve que trocar quatro de seus integrantes na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) que tenderiam a votar contra Temer. O fechamento de questão pode aprofundar esse racha no partido.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber