Mais lidas
Política

Justiça bloqueia R$ 3,1 bilhões de Cabral por supostas fraudes no metrô

.

ITALO NOGUEIRA

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A Justiça do Rio decretou o bloqueio de até R$ 3,1 bilhões dos bens do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), do ex-secretário de Transportes e deputado federal, Julio Lopes e outras pessoas envolvidas nas supostas fraudes na contratação das obras da linha 4 do metrô.

Ação civil pública do Ministério Público do Rio afirma, com base em relatório técnico do TCE (Tribunal de Contas do Estado), que o contrato da obra provocou um prejuízo de R$ 3,17 bilhões -o custo total é de R$ 10,4 bilhões.

"Havendo indícios de irregularidades dos envolvidos e evidenciado o prejuízo à Administração, impõem-se as medidas necessárias para assegurar a futura reparação do dano, caso a obrigação venha a se confirmar", justifica a Priscila Fernandes Miranda Botelho da Ponte em sua decisão.

As empresas envolvidas tiveram um bloqueio de percentuais da renda mensal de cada uma.

A juíza negou o bloqueio de bens do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e do ex-secretário de Transportes e deputado estadual Carlos Osório (PSDB) por entender que o aditivo assinado por eles não faz parte do cálculo do prejuízo feito pelos auditores do TCE-RJ.

OUTRO LADO

A defesa do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) afirmou que vai se pronunciar no processo.

A assessoria de Lopes disse que não foi notificada da decisão judicial. Ele afirmou ainda "que não teve qualquer responsabilidade ou mesmo qualquer ingerência na definição de custos, preços e pagamentos das obras da linha 4". "Todas as atribuições pertinentes a linha 4 eram de responsabilidade da Casa Civil", diz nota do deputado.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber