Facebook Img Logo
Mais lidas
Política

Santana acusa Cardozo de mentir de forma 'deslavada' para defender Dilma

.

BRASÍLIA, SP (FOLHAPRESS) - O marqueteiro João Santana divulgou nota nesta quarta-feira (17) afirmando que o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo mente de forma "deslavada" no intuito de defender a ex-presidente Dilma Rousseff.

Na nota, Santana reafirma ter sido avisado pela então presidente, em fevereiro de 2016, que havia contra ele e sua mulher, Monica Moura, um mandado de prisão relativo às investigações da Operação Lava Jato.

Santana classifica como "grotesca e absurda" a entrevista dada por Cardozo ao jornal "O Globo", em que ele rebate as acusações do casal contra a ex-presidente.

O ex-ministro, que chefiou a defesa de Dilma durante o processo de impeachment, já havia feito manifestação idêntica em entrevista à Folha de S.Paulo publicada na última sexta-feira (12).

"A grotesca e absurda entrevista do advogado José Eduardo Cardozo ao Globo faz-me romper o compromisso, que tinha comigo mesmo, de somente tratar dos termos das colaborações, minha e de Monica, no âmbito da Justiça", diz Santana no início da nota, afirmando que já mentiu para defender Dilma, jamais para acusá-la.

"Lamento por tudo que ela, Mônica e eu estamos passando. A vida nos impõe momentos e verdades cruéis."

O marqueteiro, que chefiou a propaganda da campanha à reeleição de Lula (2006) e de Dilma (2010 e 2014), reafirma que o último informe de Dilma "veio no sábado [dias antes da prisão], em e-mail redigido com metáforas, cuja cópia está anexada aos termos da nossa colaboração".

Segundo o casal, foi criada uma conta secreta de Gmail para haver a comunicação entre eles. Os três tinham a senha e se mantinham informado por meio de rascunhos de e-mails nunca enviados.

Santana apresenta na nota o que ele classifica ainda como dois indícios de que tinha informações privilegiadas sobre sua iminente prisão: a de que dias antes da prisão chamou o advogado à República Dominicana, onde conduzia uma campanha eleitoral, além de ter cancelado o retorno ao Brasil "com passagem comprada e com reserva já confirmada"

O casal retornou ao país em 26 de fevereiro de 2016, um dia após à decretação da prisão. Eles ficaram em regime fechado até agosto do ano passado. Após firmarem eles firmaram acordo de delação premiada, foram condenados a um ano e seis meses em prisão domiciliar e mais um ano e seis meses em regime semiaberto devido ao recebimento de recursos ilícitos da Odebrecht em contas no exterior.

Santana nega na nota que tenha, em sua delação, misturado à contabilidade da campanha de Dilma pagamentos da Odebrecht relativos a trabalhos que comandou em outros países. "É uma mentira deslavada", afirma, em relação às declarações de Cardozo. E completa: " De forma cínica [Cardozo] diz que não houve caixa dois nas campanhas de 2010 e 2014. Pra cima de mim, José Eduardo?"

Nas entrevistas que deu, o ex-ministro afirma que o casal Santana caiu em contradições e sugere que eles estejam mentindo para não perder os benefícios da delação.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Política

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber