Política

Alvo de lista, Lobão diz ver "má-fé" em delações e aponta "vazamento ilegal"

.

Alvo de um dos pedidos de abertura de inquérito com base nas colaborações premiadas da Odebrecht, o senador Edison Lobão (PMDB-MA) criticou nesta terça-feira (15) o que chamou de "má-fé" nas delações e apontou um "vazamento ilegal" das investigações.

"Não me oponho a nenhuma investigação, é até bom para o investigado que tem a oportunidade de demonstrar sua inocência, ao contrário da má-fé da delação", afirmou o peemedebista, que preside a Comissão de Constituição e Justiça do Senado.

"Investigação está longe de ser condenação, sobretudo quando oriunda de delação e de delatores que, presos, desejam se livrar das prisões."

Apesar de o Ministério Público ter pedido o arquivamento de um inquérito contra o senador, Lobão é alvo de duas investigações vinculadas à Operação Lava Jato.

Uma delas apura se um grupo de senadores peemedebistas agiu como organização criminosa em fraudes na Petrobras.

A outra é relacionada ao período em que ele esteve à frente do ministério de Minas e Energia, que o acusa de desvios nas usinas de Belo Monte e Angra 3.

Ele disse que não falaria especificamente sobre a notícia de que é alvo de um dos inquéritos pedidos pelo Ministério Público porque a divulgação se trata de "vazamento ilegal".