Mais lidas
Política

ATUALIZADA - Advogado de Eike diz que 'a princípio não há possibilidade de delação'

.

LUCAS VETTORAZZO

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O advogado de Eike Batista, o criminalista Fernando Martins, reafirmou na tarde desta terça-feira (31) que ainda não definiu se o empresário irá fechar acordo de delação premiada.

"A princípio não há possibilidade de delação", disse Martins. Ele fez a breve declaração assim que chegou à sede da Polícia Federal, no centro do Rio, por volta das 14h15.

Eike tinha depoimento marcado para às 15h no local. Segundo a "GloboNews", os agentes buscaram o preso no Complexo Penitenciário de Bangu às 14h05. Ele chegou ao local cerca de 40 minutos depois, em um carro da PF. O depoimento foi encerrado antes do fim da tarde.

Martins disse que protocolou nesta segunda (30) um pedido de habeas corpus em favor do empresário.

A frente do prédio da PF no Rio se transformou em inusitado ponto turístico. Pessoas aguardam a chegada de Eike com celulares nas mãos para registrar o momento.

O empresário foi transferido para Bangu na manhã desta segunda, ao desembarcar na pista do aeroporto do Galeão, no Rio. Ele havia sido inicialmente levado para o presídio Ary Franco.

ALVO

Eike foi o principal alvo da Operação Eficiência, deflagrada pela Polícia Federal, na quinta-feira (26).

Quando a ação estourou, ele estava fora do país e foi considerado foragido pela Justiça, procurado pela Interpol (Polícia Internacional). Seus advogados negaram, na ocasião, que ele tivesse fugido.

Ele teve a prisão decretada depois que dois doleiros fizeram acordos de delação com a Operação Lava Jato no Rio e contaram que ele pagou US$ 16,5 milhões de propina ao ex-governador do Rio Sergio Cabral, que está preso.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber