Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Política

ATUALIZADA - Eike é preso pela Polícia Federal após desembarcar no Rio

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O empresário Eike Batista foi preso pela Polícia Federal nesta segunda (30) no aeroporto do Galeão, no Rio, logo após de desembarcar de um voo que o trazia de Nova York. Ele era considerado foragido.

Eike desceu na pista do terminal dois e foi levado de carro pelos policiais para o IML (Instituto Médico Legal), onde fez exames antes de ser preso por cerca de meia hora, até as 11h. Ele chegou por volta das 11h20 ao presídio onde ficará detido: Ary Franco, em Água Santa, na zona norte da cidade.

Em entrevista à imprensa na porta da penitenciária, veiculada pela "GloboNews", o advogado de Eike, Fernando Martins, afirma que a principal preocupação da defesa é a integridade física de Eike.

Martins disse não saber se o empresário foi algemado e tampouco entrou em contato com ele. Afirmou que a defesa ainda não sabe qual será a estratégia jurídica adotada, pois os advogados ainda não tiveram acesso ao cliente.

De acordo com a Polícia Federal, Eike não prestou depoimento assim que chegou porque é alvo de um mandado de prisão preventiva. Como não tem prazo para sair da cadeia, a PF afirma que ele pode ser convocado a depor a qualquer momento.

Investigadores ouvidos pela Folha dizem que o empresário pode colaborar mais com as autoridades após ver as condições do presídio em que ficará.

O presídio Ary Franco tem capacidade para 968 detentos, mas abriga mais de 2.000, segundo a reportagem apurou. A cadeia já foi alvo de pedido de fechamento por parte da ONU há cinco anos e da Defensoria Pública, há dois.

Eike foi levada para o local por não ter curso superior –Sérgio Cabral e demais acusados no esquema de propina estão em Bangu 8. O Ary Franco é o local onde ficam presos com mandado de prisão federal e criminosos vinculados ao Comando Vermelho.

No sábado (28), a Folha informou que ele pretendia se entregar à Justiça, mas tinha medo de ser levado a uma penitenciária comum por não ter curso superior.

Eike Batista embarcou na noite de domingo (29) no aeroporto JFK, em Nova York, por volta das 21h45 (horário de Brasília). No caminho até o local de embarque, questionado pela reportagem se iria se entregar, apenas sorriu.

Ao programa "Fantástico" (Globo) Eike afirmou, já na área de embarque, que responderá "à Justiça, como é o meu dever". "Meu sentimento é que tem que se mostrar o que é. Está na hora de passar as coisas a limpo."

Questionado pela equipe da emissora se iria fazer delações, o empresário disse que iria esperar estar diante da Justiça. Ele afirmou ainda que nunca pensou em fugir para a Alemanha -Eike tem dupla nacionalidade. "Sempre venho a Nova York a negócios."

ALVO

Eike foi o principal alvo da Operação Eficiência, deflagrada pela Polícia Federal, na quinta-feira (26).

Quando a ação estourou, ele estava fora do país e foi considerado foragido pela Justiça, procurado pela Interpol (Polícia Internacional). Seus advogados negaram, na ocasião, que ele tivesse fugido.

Ele teve a prisão decretada depois que dois doleiros fizeram acordos de delação com a Operação Lava Jato no Rio e contaram que ele pagou US$ 16,5 milhões de propina ao ex-governador do Rio Sergio Cabral, que está preso.

Antes de embarcar de volta ao Brasil, neste domingo, o empresário caminhou tranquilamente pelo terminal 8 do JFK. Chegou a conversar e tirar selfies com brasileiros que estavam no aeroporto.

Ele carregava apenas uma mala de mão e não enfrentou filas para fazer o check in. A cada pergunta feita pela reportagem, respondia apenas com sorrisos.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Política

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber