Política

Ministério Público pede retirada de cartazes 'fora, Temer' de colégio no RJ

.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O Ministério Público Federal recomendou à diretoria do Colégio Pedro 2º a retirada de cartazes "Fora Temer" afixadas na unidade do Humaitá, zona oeste do Rio. A Procuradoria solicita ainda a identificação de funcionários que supostamente estimularam alunos a fazerem a manifestação.

A medida foi tomada após o pai de um aluno relatar ao MPF ter visto dois professores estimulando a manifestação dos alunos. A recomendação define a prática como "doutrinação político e ideológica".

"O cartaz disseminando a ideia de que a República vivencia um golpe de Estado desvirtua a finalidade precípua do colégio Pedro 2º, qual seja, promover o ensino público de qualidade e não ingerir-se em questões de ordem político-partidária", diz a recomendação.

O documento, assinado no dia 26 de setembro pelo procurador Fábio Moraes de Aragão, afirma que "a doutrinação política e ideológica de alunos atenta contra a integridade intelectual de crianças e adolescentes, que pela fragilidade etária e subordinação hierárquica se encontram em situação de vulnerabilidade, tornando-se reféns de determinadas agendas partidárias".

Segundo o texto, o pai procurou a diretora da unidade, Soraya Costa, que afirmou que não retiraria as faixas por considerar ter ocorrido um golpe no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

"Percebe-se claramente que os cartazes referidos objetivam beneficiar pessoas que defendem certas agendas ideológicas", diz o texto.

A recomendação afirma também que "os cartazes externam desprezo e repúdio ao chefe do Poder Executivo Federal, autoridade constituída como vice-presidente por meio do voto popular e, agora, como presidente da República em decorrência de processo constitucional".

O MPF pede a proibição de colocação de cartazes do tipo, bem como a identificação dos servidores responsáveis.

A reportagem não conseguiu contato com a direção do colégio até as 21h desta terça.