Mais lidas
Política

Dirigentes do PT chamam reunião de emergência em SP

.

PAULO GAMA
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Dirigentes do PT fazem uma reunião de emergência nesta sexta-feira (4) em São Paulo para discutir reações à operação da Polícia Federal que teve como alvo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, maior líder do partido.
Dirigentes do Instituto Lula se concentram no PT e estão convocando militantes, parlamentares e movimentos sociais para um ato na porta do diretório nacional do partido. Há expectativa de que o próprio Lula vá para o PT após seu depoimento.
Para dirigentes da sigla, a Operação Aletheia criou um "espetáculo sem necessidade", com "agentes armados até os dentes" na porta do prédio de Lula.
Os petistas lembram que o ex-presidente já prestou depoimentos outras vezes quando foi chamado e dizem que não havia necessidade da condução coercitiva.
O partido deve discutir a realização de atos de rua em resposta à operação.
A avaliação inicial é que a operação é também uma reação ao discurso de Lula do último fim de semana, quando ele se voltou contra as investigações no aniversário do PT.
Veem na ação, ainda, uma tentativa de a Polícia Federal reafirmar sua autoridade depois da substituição de José Eduardo Cardozo no Ministério da Justiça por Wellington Lima, nome indicado por Jaques Wagner (Casa Civil).
PELA INTERNET
O partido fez sua convocação na rede social. "Twitter oficial do Pt: #lulapresopolitico não podemos deixar barato. Precisamos todos reagir. Agora!"
Já o presidente estadual do PT, Emidio de Souza, convocou petistas pelo mealing do partido. Ele recomendou que os militantes cancelassem suas agendas.
Há manifestações populares em frente às casas de Lula, Lulinha e no Instituto Lula.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber