Mais lidas
Política

Chefe da Casa Civil é alvo da Promotoria em São Paulo

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério Público de São Paulo instaurou nesta segunda (29) inquérito para apurar suspeitas de enriquecimento ilícito do secretário da Casa Civil de Geraldo Alckmin (PSDB), Edson Aparecido.
A investigação foi iniciada a partir de uma reportagem do UOL que revelou que Aparecido comprou, em 2007, um apartamento em uma das áreas mais valorizadas de São Paulo por um terço do valor.
Conforme a reportagem, Aparecido declarou ter pagado R$ 620 mil pelo imóvel na Vila Nova Conceição, enquanto, na escritura, ele valia R$ 1,07 milhão. Ainda segundo o portal, na época do negócio, o apartamento tinha valor de mercado de R$ 2 milhões.
"Vai ser investigada eventual improbidade administrativa, enriquecimento ilícito e incompatibilidade entre renda e patrimônio", afirmou o promotor Marcelo Milani.
O imóvel foi comprado do empresário Luis Albert Kamilos, dono de uma construtora que já na época tinha contratos milionários com o governo de São Paulo.
"Prestarei todos os esclarecimentos. Quando esses fatos se deram, eu estava fora do governo. Tudo foi devidamente registrado e declarado à Receita Federal e aos Tribunais Eleitorais. Não há nenhuma ilegalidade ou qualquer ocultação de patrimônio", afirmou Aparecido.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber