Política

Tripoli critica oponentes e se queixa de 'intrigas' em prévias do PSDB

.

PAULA REVERBEL
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O deputado federal Ricardo Tripoli, pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, fez críticas veladas a seus dois oponentes na disputa neste domingo (28), dia das prévias tucanas na cidade.
O deputado disse afirmou que ficou muito triste com o volume de "denúncias, de brigas, de intrigas" que surgiram durante a disputa. "Esse não é o nosso PSDB", afirmou.
Os seus dois oponentes, o empresário João Doria e o vereador Andrea Matarazzo foram alvo de denúncias durante a disputa. O PSDB investigará acusação de que Doria faz pagamentos à militância da sigla. O Ministério Público Estadual de São Paulo apura desvio de recurso para bar de um dos coordenadores da pré-campanha de Matarazzo.
Tripoli também fez crítica indireta à campanha de João Doria, que colocou três cavaletes móveis do candidato ao redor do local da votação.
"Acho que a gente tem que começar por algumas teses do PSDB, como, por, exemplo, o Cidade Limpa", disse, citando a Lei da Cidade Limpa, que proíbe a colocação de peças de propaganda pela cidade. "O Cidade Limpa está sendo agredido por fatos que não corroboram com aquilo que o PSDB pretende."
Alguns filiados ao PSDB também atacaram o uso dos cavaletes, que, devido ao forte vento, eram seguidamente derrubados e tinham que ser reerguidos.
"É um símbolo do chorume que se tornaram as prévias do PSDB as prévias do PSDB", afirmou Fabio Fortes, ex-presidente do diretório de Perdizes. "Dá conotação de uma super estrutura de campanha", acrescentou. Fortes cedeu o imóvel em que são registrados os votos da zona de Perdizes.
Quando um dos cavaletes com o rosto do Doria foi derrubado pela terceira vez, o tucano completou: " São cenas patéticas que o candidato propicia para a nossa zona eleitoral.
Ao comentar a divisão do PSDB nas prévias, Tripoli afirmou que alguns filiados "entraram recentemente, acho que não têm muito o que apresentar". "Eu estou no oitavo mandato", afirmou.