Mais lidas
Política

Após pressão, Pimentel recua e reduz corte de R$ 267 mi na Previdência

.

JOSÉ MARQUES
BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - Três dias depois de anunciar um congelamento de R$ 2 bilhões do Orçamento de 2016, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), voltou atrás e diminuiu R$ 267 milhões do valor contingenciado referente à previdência dos servidores da PM no Estado.
A mudança foi anunciada na noite desta quinta (25), em vídeo publicado na internet, e atende a pressões de policiais militares e bombeiros -o valor que seria cortado era do IPSM (Instituto de Previdência dos Servidores Militares).
"Nós vamos retirar o corte de R$ 267 milhões, de modo que não haverá qualquer prejuízo para o IPSM, muito menos para a saúde e segurança das famílias dos policiais militares e dos bombeiros militares do Estado de Minas", diz Pimentel na gravação.
O governador afirmou que se reuniu com os comandantes das corporações antes de tomar a decisão.
Antes, a área de segurança teria R$ 360 milhões contingenciados. Sem o corte no IPSM, esse valor cai para R$ 93 milhões.
'SUPERAVITÁRIO'
Ao anunciar o contingenciamento, na segunda-feira (22), o secretário de Planejamento, Helvécio Magalhães, disse que cortaria do IPSM porque o instituto é "superavitário".
As medidas foram tomadas para reduzir um rombo de R$ 9 bilhões nas contas de Minas Gerais em 2016. Com a mudança, o governo mineiro agora prevê realizar uma despesa de aproximadamente R$ 90 bilhões neste ano.
De acordo com o governo, o congelamento não é maior porque Minas tem 90% de seu Orçamento, cerca de R$ 83 bilhões, atrelado a despesas obrigatórias, como folha de pagamento e gastos constitucionais.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber