Política

Alvo da Operação Acarajé, executivo da Odebrecht está preso na Suíça

.

FELIPE BÄCHTOLD
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um dos alvos da 23ª fase da Operação Lava Jato, intitulada "Acarajé", o executivo da Odebrecht Fernando Migliaccio da Silva está preso na Suíça desde a semana passada, segundo informaram autoridades do país europeu.
Documento do Departamento Federal de Justiça e Polícia da Suíça enviado ao Brasil afirma que Migliaccio foi detido na última quarta-feira (17) em Genebra. A ordem de prisão, diz o órgão, partiu do Ministério Público suíço. Os motivos da detenção não são informados.
O Ministério Público Federal brasileiro, no entanto, afirma que a prisão não se deve à Operação Lava Jato.
O juiz federal Sergio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância, expediu ordem de prisão no último dia 11 contra Migliaccio. Nesta segunda (22), dia em que o mandado seria cumprido, ele não foi encontrado em dois endereços em São Paulo.
A investigação da Lava Jato o aponta como suspeito de controlar empresas offshore da Odebrecht usadas para pagamentos ilícitos, como os feitos ao marqueteiro João Santana.
Os investigadores também consideram Migliaccio um dos responsáveis por uma planilha com supostos pagamentos ilegais da Odebrecht, anexada como prova no caso. Nessa lista, há menções de pagamentos a "Feira", que foi considerado um codinome do marqueteiro, e a "JD", sigla atribuída pelos investigadores ao ex-ministro José Dirceu.
Em despacho, Moro afirmou que Migliaccio tinha se mudado para os Estados Unidos em 2014, já durante as investigações da Lava Jato, com custos arcados pela Odebrecht.
A Polícia Federal no Paraná também não tem detalhes da prisão de Migliaccio na Suíça.