Política

Governadores do PT evitam falar sobre ação contra marqueteiro do partido

.

JOSÉ MARQUES
BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - No mesmo dia em que foi decretada a prisão preventiva do marqueteiro João Santana, responsável por campanhas presidenciais de Lula e Dilma, governadores do PT se reuniram em Belo Horizonte, mas evitaram comentar o assunto.
Estiveram juntos na manhã desta segunda-feira (22) Fernando Pimentel (Minas Gerais), Rui Costa (Bahia), Tião Viana (Acre) e Wellington Dias (Piauí), para "trocar experiências de gestão".
Segundo Pimentel, os governadores querem mostrar que não estão parados, apesar da crise, e exibiram iniciativas bem-sucedidas em seus Estados.
Também comentaram sobre a extensão do prazo de pagamento das dívidas com a União e com o BNDES, que é negociada com o governo federal.
O governador de Minas foi o único a falar com a imprensa, após discursar ao lado dos outros três. Quando o grupo foi questionado sobre a 23ª fase da Lava Jato, que fez busca e apreensão em escritórios da Odebrecht na Bahia, em São Paulo e no Rio de Janeiro, encerrou a fala e deixou o local.
Pimentel disse apenas que o assunto "não foi discutido" e logo foi cercado pelos assessores.
O grupo promete fazer novas reuniões de governadores do partido e informa que o próximo evento será na Bahia, ainda sem data marcada. Também petista, o governador do Ceará, Camilo Santana, não esteve no encontro por conflito de agenda, segundo seus colegas.