Política

Cardozo diz que PF investigará FHC se houver indícios de crime

.

MARCO ANTÔNIO MARTINS
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que uma equipe do ministério fará um estudo "técnico e jurídico" para avaliar se o ex-presidente Fernando Henrique Cardozo cometeu algum crime federal ao enviar dinheiro para o exterior através da empresa Brasif Importação e Exportação.
Reportagem publicada pela Folha de S.Paulo na quinta (18) revela que a jornalista Mirian Dutra firmou contrato fictício com a Brasif para receber dinheiro no exterior de Fernando Henrique Cardozo.
"Havendo indícios de delitos puníveis de competência federal, seguramente a Polícia Federal fará investigação através de inquérito. Isso não vale apenas para o presidente Fernando Henrique. Vale para todos os brasileiros. É impessoal", afirmou o ministro da Justiça.
Fernando Henrique admitiu ter enviado dinheiro à jornalista, mas nega ter usado a empresa.
Cardozo visitou nesta manhã desta sexta (19) o centro de comando instalado na HSBC Arena e verificou as medidas de segurança adotadas para a entrada de pessoas no Parque Aquático Maria Lenk, ambos na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, durante a Olimpíada a partir de 5 de agosto.
PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA
O ministro Cardozo contou ainda que esteve reunido nesta quinta com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
No encontro, eles discutiram possíveis impactos no sistema penitenciário com a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de que réus podem ser presos já com julgamento em segunda instância.
O ministro Cardozo disse que determinou um levantamento à equipe do Depen (Departamento Penitenciário Nacional) sobre impactos no sistema penitenciário brasileiro.
O governo administra, atualmente, quatro presídios federais.