Política

Executivos da SBM fazem acordo e pagarão R$ 500 mil em multas

.

NICOLA PAMPLONA
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A companhia holandesa SBM informou nesta segunda-feira (25) que dois de seus executivos denunciados em processo que investigou fraudes em licitações da Petrobras fecharam acordo com o Ministério Público Federal e pagarão R$ 250 mil, cada um, em multas.
A empresa frisa, porém, que os acordos não envolvem confissão de culpa e que "mantém sua opinião de que as acusações são sem mérito". Em nota oficial, a companhia ressalta que a opção por acordo "oferece uma oportunidade pragmática" de resolver a questão evitando longa disputa judicial.
O presidente da SBM Offshore, Bruno Chabas, e um membro do conselho fiscal da companhia, Sietze Hepkema, são citados em denúncia feita pelo MP em dezembro do ano passado, que acusa diversos executivos da companhia de terem pago US$ 42 milhões a empregados da Petrobras para obter contratos.
A empresa é fornecedora de plataformas de produção de petróleo. Em defesa dos dois executivos, diz que eles foram nomeados em 2012 e iniciaram um processo de investigação sobre possíveis desvios, além da implantação de um programa de governança. Não poderiam, portanto, ter participado do esquema denunciado.
"O Conselho Fiscal da empresa reafirma sua recente declaração de apoio a Bruno Chabas e Sietze Hepkema", afirmou a companhia, que diz ter sido informado sobre a possibilidade de acordo extrajudicial no último dia 15.
O acordo foi assinado no último dia 22, mas está sujeito á confirmação da Justiça.