Mais lidas
Política

Mais de 13 mil eleitores vão perder o título na Comarca

.

Fórum Eleitoral de Apucarana, norte do Estado | Foto: Sérgio Rodrigo/imagem ilustrativa
Fórum Eleitoral de Apucarana, norte do Estado | Foto: Sérgio Rodrigo/imagem ilustrativa

Dados extraoficiais dão conta de que cerca de 13,4 mil eleitores de Apucarana, Cambira e Novo Itacolomi deixaram de fazer o recadastramento biométrico do título de eleitor. O prazo determinado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) terminou anteontem.

Segundo Andréa Silva Milanin, analista judiciária da 28ª Zona Eleitoral da Comarca de Apucarana, a estimativa é a de que o recadastramento atingiu 86% dos 102.940 eleitores inscritos nos três municípios. Isto significa que o número dos que regularizaram o documento ficou em torno de 89,5 mil eleitores. O relatório final ainda não foi concluído.

Andréa Milanin informa que agora o juiz de cada zona eleitoral (28ª e 179ª) vai proferir sentença cancelando os títulos daqueles que não compareceram. A sentença seguirá para o TRE-PR, que tomará a decisão final.

Andréa informa ainda que aqueles que tiveram o título cancelado poderão procurar o cartório eleitoral no ano que vem para regularizar a situação. Neste caso, será um novo título, porém o cartório ainda vai tentar recuperar o mesmo número do documento até então vigente. A partir de agora, todo documento novo emitido já será pelo sistema de biometria. Durante o período de recadastramento biométrico, que começou no dia 10 de junho, trabalharam cerca de 50 colaboradores no Cartório Eleitoral de Apucarana, incluindo servidores efetivos e estagiários. A partir de ontem o Cartório Eleitoral de Apucarana entrou no recesso de final e início de ano, que vai durar até 6 de janeiro.

PROCESSO
- O TRE-PR vem procedendo a revisão biométrica em vários municípios do Paraná. Muitos já tiveram os trabalhos concluídos. A meta da Justiça Eleitoral é, até o mês de janeiro de 2016, ter atingido 100 municípios com sistema biométrico, totalizando em torno de 3 milhões de eleitores. Em todo o Brasil, cerca de 50 milhões de eleitores deverão participar do pleito municipal do ano que vem já pelo sistema biométrico.

Para a Justiça Eleitoral, este sistema dá mais segurança no pleito eletrônico, uma vez que impede que um indivíduo vote no lugar de outro. A biometria começou a ser usada pela Justiça Eleitoral em 2008 para evitar fraudes nas eleições, segundo a Justiça Eleitoral. O primeiro município do Paraná a adotar a biometria foi Balsa Nova, localizado na Região Metropolitana de Curitiba.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber