Facebook Img Logo
  1. Edhucca Banner
Mais lidas
Política

Temer convoca Executiva do PMDB para impugnar aliado de Picciani

.

GUSTAVO URIBE E MARINA DIAS
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em uma contraofensiva ao Palácio do Planalto, o vice-presidente Michel Temer decidiu reunir a Executiva Nacional do PMDB na quarta-feira (16) para evitar que o deputado federal Leonardo Picciani (PMDB-RJ) retorne à liderança do partido na Câmara dos Deputados.
A pedido do presidente da Casa Legislativa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a reunião foi marcada para impugnar a filiação à legenda do deputado Altineu Côrtes (PR-RJ), movimento costurado pelo governo para fortalecer o apoio na bancada do partido ao parlamentar carioca.
Côrtes registrou-se no diretório do PMDB do Rio de Janeiro e tentou se inscrever nesta segunda (14) como integrante da bancada peemedebista na Câmara.
Temer já havia pedido à presidente Dilma Rousseff que o governo não interferisse em questões internas do PMDB, mas auxiliares da petista disseram que não iriam frear o movimento, o que irritou o vice, Cunha e a cúpula do partido.
Na semana passada, Temer orientou a cúpula do partido a proibir a filiação de parlamentares que tenham como propósito fortalecer a tentativa de recondução de Picciani. A estratégia é blindar a bancada federal e o novo líder do partido, Leonardo Quintão (MG), que conta com o apoio do vice-presidente.
Aliado da presidente Dilma Rousseff, Picciani foi destituído na semana passada, quando 35 dos 66 integrantes da bancada federal assinaram documento pedindo sua saída. O parlamentar carioca tenta agora recuperar apoios e quer apresentar até o final da semana nova lista com a assinatura de mais da metade da bancada do partido.
Com dificuldades de conseguir reverter apoios, o Planalto iniciou movimento para enfraquecer a legitimidade do atual líder à frente do PMDB na Casa Legislativa. A pedido do governo federal, os ministros Marcelo Castro (Saúde) e Celso Pansera (Ciência e Tecnologia) atuam para convencer deputados a retirarem assinatura do abaixo-assinado que levou o mineiro ao posto, mesmo que eles não declarem apoio ao carioca.
A estratégia é torná-los neutros na disputa interna, diminuindo a base de apoio de Quintão e, assim, estimulando traições que fortaleçam o retorno de Picciani. Na tentativa de enfraquecer o novo líder, o governo também tem trabalho para isolá-lo.
Em oposição a Picciani, que participava de todas as reuniões com a base aliada no Planalto, o mineiro não é chamado para os encontros semanais com o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, para discutir a pauta da semana no Congresso Nacional.
A avaliação de auxiliares e assessores da presidente é de que, por ter o apoio de setor do partido favorável ao impeachment da petista, Quintão não é "confiável" e inseri-lo nas reuniões semanais seria "entregar a estratégia para o inimigo".
A ofensiva do Planalto estimulou peemedebistas a defenderem a antecipação de março para janeiro de convenção nacional da legenda que discutirá o rompimento do PMDB com o governo.
Para mudar a data, o regimento interno do partido prevê dois dispositivos: a convocação extraordinária pela Executiva Nacional do PMDB ou por pelo menos um terço (nove de 27) dos diretórios estaduais do partido.
O grupo favorável ao impeachment diz já ter a assinatura de dez diretórios estaduais, entre eles Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Goiás, Bahia e Pernambuco. Eles pretendem tomar uma decisão até quarta-feira (16), quando a Suprema Corte deve discutir o rito do processo de afastamento da petista.
"Eu espero que a convenção nacional do partido seja antecipada. O PMDB tem de discutir se permanece ou sai do governo federal. É melhor do que ficar nesse jogo de confusão para lá e para cá", disse Cunha.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Política

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber