Mais lidas
Política

Manifestantes vendem 'Pixulequinhos' durante 7 de Setembro em Brasília

.

GABRIEL MASCARENHAS, REYNALDO TUROLLO JR. E DÉBORA ÁLVARES
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Movimento Brasil levou para a Esplanada dos Ministérios nesta segunda-feira (7) miniaturas do Pixuleko, apelido dado ao boneco inflável do ex-presidente Lula. Em pouco tempo, todos os 600 bonequinhos foram vendidos por R$ 10 cada um.
"É meu souvenir de 7 de Setembro", disse uma ciclista, que comprou um boneco. Ela não quis ter seu nome divulgado.
A miniatura tem cerca de 30 centímetros e é inflável como o boneco gigante, que ficou famoso após sua primeira aparição nas manifestações contra o governo Dilma Rousseff no mês passado.
"Foi a primeira vez que confeccionamos os minipixulekos. Sucesso total. O PT conseguiu unir todo mundo contra ele", afirmou a médica Helen Arruda, integrante do Movimento Brasil.
O médio Manoel Augusto Soares, 70, que também participa do Movimento disse que o grupo está vendendo ainda camisetas com a imagem do rosto do juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em Curitiba (PR). Cada camiseta custa R$ 30.
Há também camisetas com a imagem do boneco de Lula. Até as 10h, o Movimento havia vendido 100 unidades, por R$ 30 cada uma.
O dinheiro arrecadado com a venda dos souvenirs financia a manutenção dos bonecos gigantes e as viagens dos manifestantes.
BARREIRA
Soares reclamou de uma barreira feita com placas de metal que isola uma das vias do Eixo Monumental, onde está montado o palanque das autoridades que acompanham o desfile cívico.
"Ela (Dilma) colocou esse muro com medo que fôssemos lá vaiar. É o muro da vergonha, nunca houve isso", disse Soares.
As placas de metal têm sido colocadas desde 2013 nos desfiles de 7 de Setembro na capital federal, depois das manifestações de junho daquele ano. Nesta segunda-feira, a área isolada é um pouco maior do que a de 2014.




×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber