Mais lidas
Política

Vereadora de Apucarana denuncia má fé em lista de projeto popular

.

Vereadora de Apucarana denuncia má fé em lista de projeto popular - Foto: Tribuna do Norte
Vereadora de Apucarana denuncia má fé em lista de projeto popular - Foto: Tribuna do Norte

Em pronunciamento na sessão ordinária de terça-feira à noite, na Câmara de Apucarana, a vereadora Aurita Bertoli (PT) levantou suspeita de irregularidades na coleta de assinaturas para o projeto de iniciativa popular que pede a manutenção de 11 cadeiras na Câmara para a próxima Legislatura. A coleta vem sendo feita pelo Observatório Social de Apucarana (OSA).

Segundo Aurita, há algum tempo o Observatório Social se propôs a recolher 10 mil assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular, embora necessitando de apenas 5 mil. Conforme assinala, como o tempo passou e a entidade não está conseguindo atingir a meta, seu dirigente distribuiu um grande volume de folhas na cidade para serem assinadas à revelia pelos cidadãos de Apucarana.Essas folhas, inclusive, estariam sendo distribuídas em colégios estaduais.

Aurita diz ter recebido denúncia de que, num colégio da cidade, um professor estaria incentivando os alunos a assinarem as folhas e, em troca, recebendo um ponto a mais no seu desempenho escolar. “Eu fiquei estarrecida com a denúncia e procurei verificar a sua veracidade”, afirma Aurita, destacando que a denúncia é verdadeira. A vereadora acrescenta que entrou em contato com o Núcleo Regional da Educação de Apucarana (NRE) e pediu informações à chefe do núcleo, Maria Olide Balan Sardinha, se isto era permitido na escola e ela disse que não.

Aurita afirma que tem o nome da escola e do professor, porém não revelaria em plenário. Ela vai encaminhar o caso ao Ministério Público.Aurita disse ainda que já conversou com o presidente da Câmara, vereador José Airton Deco de Araújo (PR) sobre o assunto. Ela pediu que, quando o projeto do OSA chegar ao Legislativo, para que sejam conferidos números dos títulos de eleitores e assinatura por assinatura, antes de ser colocado em plenário para votação.Ela observa que a Marina Silva, quando entrou com pedido de registro do partido Rede Sustentabilidade junto ao TSE, enfrentou problemas por causa de assinaturas que estariam irregulares.

“Ele (Observatório Social) pode pedir assinaturas do povo para o projeto. Mas eu, enquanto vereadora, quero que sejam conferidas todas as assinaturas e os títulos eleitorais”, declarou, acrescentando que eleitores de fora também estariam assinando as listas.Aurita criticou ainda os outdoors que o Observatório Social espalhou em Apucarana fazendo campanha contra o aumento do número de vereadores.

Os outdoors pregam mais saúde, mais educação, mais esporte e menos vereadores. “Dinheiro da Câmara é da Câmara, nada tem a ver com saúde, educação, etc. É uma campanha infame e mentirosa que não esclarece a população”, diz. “Que eles promovam debates e esclareçam a população, assim como vamos fazer em audiência pública no próximo dia 28”, completa.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber