Mais lidas
Política

Morre Luiz Paulo Conde, prefeito do Rio entre os anos de 1997 e 2000

.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O ex-prefeito do Rio Luiz Paulo Conde morreu na madrugada desta terça-feira (21) no Hospital Samaritano, em Botafogo, zona sul do Rio, aos 81 anos.
Ele estava internado para tratar um câncer na próstata.
Conde formou-se em Arquitetura pela Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil (atual FAU/UFRJ).
Participou do movimento estudantil nos anos 1950. Foi presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil, em 1974, reeleito dois anos depois, e diretor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ (1990-1992). O projeto mais visível de Luiz Paulo Conde na cidade é o campus da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro).
Ocupou de 1993 a 1996 o cargo de secretário municipal de Urbanismo na administração de César Maia, a quem sucedeu na prefeitura do Rio de Janeiro.
Foi eleito para a prefeitura do Rio em 1996 pelo PFL, com o apoio de Maia.
Como prefeito, Conde deu prosseguimento aos programas Rio Cidade, de revitalização das áreas urbanas, e Favela-Bairro, de reurbanização e integração das favelas.
Em 2000, concorreu à reeleição, mas foi derrotado por Maia.
O prefeito do Rio, Eduardo Paes, decretou luto oficial de três dias na cidade pelo falecimento de Conde.
"O Rio de Janeiro perdeu hoje um grande realizador. Luiz Paulo Conde fez parte de um grupo seleto de cariocas que tiveram o prazer e o orgulho de gerir a nossa Cidade Maravilhosa. Suas mãos ajudaram a projetar importantes transformações como o Rio-Cidade, o Favela-Bairro e a construção da Linha Amarela. Conde foi um inspirador para realizarmos a grande transformação pela qual o Rio de Janeiro passa. Com seu olhar urbanístico, foi um dos primeiros gestores a pensar na revitalização da Região Portuária e na demolição do elevado da perimetral. Arquiteto premiado, Conde tinha orgulho de sua profissão e inspirava-se na arquitetura para executar projetos. Hoje, o Rio está mais triste com sua perda", disse o prefeito em nota.
Conde também enviou para a Câmara um polêmico projeto -aprovado sem emendas- para construções de hotéis-residência no Rio, o que estava proibido desde 1985. Uma das empresas beneficiadas por esta lei foi a STA Arquitetura S.A., dirigida pelo economista Marcelo Conde, um dos filhos do ex-prefeito.
Ele deixa a mulher, a arquiteta Rizza Conde, seus três filhos, Marcelo, Marcos e Elisa, e sete netos.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber