Mais lidas
Política

Assembleia de SP deve gastar quase R$ 4,9 milhões na compra de 56 carros

.

ADRIANO QUEIROZ
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Assembleia Legislativa de São Paulo vai comprar 56 carros, do tipo sedan médio, avaliados em quase R$ 4,9 milhões.
O edital de licitação para a aquisição dos novos veículos foi lançado no dia 7 de julho e o pregão eletrônico para as empresas interessadas na venda desses veículos será realizado no dia 27 deste mês.
O valor médio de cada veículo é estimado em cerca de R$ 87 mil. Entre os modelos que se encaixam nos itens exigidos em edital estão veículos como Toyota Corolla, Honda Civic e Chevrolet Cruze.
De acordo com o secretário-geral de Administração da Assembleia, Sérgio Turra Sobrane, "esse sedan médio tem algumas características objetivamente descritas e que normalmente são incorporadas em todos esses veículos, desde controle de segurança, como ABS e airbag duplo".
Além dessas exigências, o edital prevê que os automóveis devem ter cor preta, capacidade para cinco passageiros, quatro portas, motor 1.8 com quatro cilindros, 16 válvulas, potência mínima de 140 cavalos, transmissão automática, direção assistida, ar condicionado, trio elétrico, navegador GPS integrado, rodas com aros de liga leve e fabricação em 2015.
RENOVAÇÃO DE FROTA
A frota atual do Legislativo paulista é composta por 165 veículos automotores, incluindo 94 Chevrolet Cruze (adquiridos no ano passado por cerca de R$ 5,8 milhões), 56 Chevrolet Vectra, 9 Ford Fiesta, 3 Nissan Livina, 2 Volkswagen Kombi e uma ambulância.
Os 56 carros que serão comprados pela Assembleia visam substituir os veículos do modelo Vectra, da Chevrolet, que devem ser vendidos, posteriormente. Nesta quinta-feira (16), a Casa vendeu outros 38 veículos, do mesmo modelo. "Nós estimávamos arrecadar R$ 713 mil, mas arrecadamos R$ 826 mil. Superou a expectativa", comemorou Sobrane.
De acordo com o gestor, os automóveis vendidos foram "adquiridos no ano de 2011. Já tem quatro anos ou quatro anos e meio de uso, alguns com quilometragem bastante alta e outros com problemas de terem sido sinistrados [acidentados] e não terem condições de tráfego com segurança".

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber