Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Política

Campanha de Richa recebeu R$ 2 mi de esquema, diz auditor

.

CARLOS OHARA
LONDRINA, PR (FOLHAPRESS) - Um auditor da Receita estadual preso em Londrina (PR) afirmou, em depoimento ao Ministério Público, que a campanha de reeleição do governador Beto Richa (PSDB) recebeu parte da propina de dinheiro desviado dos cofres públicos do Paraná.
Segundo o auditor Luiz Antônio de Souza, cerca de R$ 2 milhões foram repassados à campanha de Richa.
O governador Beto Richa, que enfrenta uma séria crise econômica e uma onda de protestos e greves de servidores públicos, não quis comentar o caso. Já o PSDB do Paraná divulgou uma nota negando as acusações.
Souza fechou acordo de delação premiada com o Ministério Público, comprometendo-se a dizer o que sabe em troca de uma pena menor.
O auditor também é acusado pelo Ministério Público de exploração sexual de menores e foi preso em janeiro em um motel com uma menina de 15 anos. Souza admitiu a prática do crime.
Ele e mais 14 auditores e funcionários públicos são acusados de cobrar propina de empresários e, em troca, reduzir ou até anular dívidas tributárias das empresas.
Segundo Souza, o esquema era comandado pelo então inspetor-geral de fiscalização da Receita, Márcio Albuquerque de Lima, que também está preso.
Na versão de Souza, Márcio Lima agiria em nome de Luiz Abi Antoun, que se apresenta como primo de Richa e também já havia sido preso em outro caso - de suspeita de fraude em licitação do governo estadual. Ele responde as acusações em liberdade.
O teor do depoimento do auditor foi revelado pelo advogado Eduardo Duarte Ferreira, que assumiu a defesa de Souza nos últimos dias.
Segundo o defensor, seu cliente contou aos promotores que, em fevereiro de 2014, foi convocado para uma reunião com Lima e afirmou que nela ficou estabelecido que o grupo deveria contribuir com R$ 2 milhões para a campanha de Richa à reeleição.
Durante o encontro, Lima teria dito que estaria cumprindo uma determinação de Luiz Abi Antoun. O advogado afirmou ainda que Souza confirmou que o grupo de auditores achacava empresas devedoras do fisco estadual havia pelo menos 10 anos.
OUTRO LADO
Procurado pela reportagem, o governo Beto Richa disse que assuntos sobre a campanha eleitoral deveriam ser tratados com o PSDB.
O diretório tucano no Paraná emitiu nota oficial refutando as declarações de Souza e afirmando que Luiz Antoun nunca tratou de arrecadação para a campanha eleitoral do atual governador.
Segundo o texto, a arrecadação para a campanha foi executada pelo comitê financeiro da sigla "dentro da legalidade e aprovadas integralmente pela Justiça Eleitoral".
A reportagem não conseguiu localizar as defesas de Luiz Antoun e Márcio Lima.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Política

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber