Mais lidas
Política

Presidente defende mudança em programa de habitação

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (6) que o programa Minha Casa Melhor passa por revisão, por causa da taxa de inadimplência. Segundo Dilma, o governo avalia mudanças no modelo do programa, que poderá ser incluído –de forma mais simples– no Minha Casa, Minha Vida. No fim de fevereiro, a Caixa Econômica Federal confirmou a suspensão do Minha Casa Melhor para novos contratos. As informações são da Agência Brasil.
“Estamos revendo, porque, ao contrário do Minha Casa, Minha Vida, que tem baixa inadimplência, o Minha Casa Melhor começou com inadimplência. Então, estamos avaliando incluí-lo no Minha Casa, Minha Vida, de forma mais simples. Esse é um processo de avaliação”, informou a presidente, após participar da entrega de unidades habitacionais em Araguari, no Triângulo Mineiro.
Dilma não descartou a possibilidade de retorno do Minha Casa Melhor ainda este ano. “Em 2011, fizemos ajustes [no Minha Casa, Minha Vida], o que nos obrigou a começar a contratar apenas no fim do ano. Muito provavelmente vai ocorrer. A gente vai fazendo ajustes, porque tem de discutir, construir um consenso em torno destes três anos futuros”, completou a presidente.
Lançado em 2013, o programa facilita a aquisição de móveis e eletrodomésticos para famílias inscritas no Minha Casa, Minha Vida. A Caixa oferece a cada beneficiário do programa habitacional crédito subsidiado de até R$ 5 mil, a juros de 5% ao ano e prazo de 48 meses para pagamento. A suspensão do programa não representa mudanças para beneficiários com contratos em vigor.
MARATONA DE VIAGENS
No pior momento de todo o seu governo, Dilma segue com sua agenda que tem como objetivo melhorar a comunicação para ao menos amortecer os danos que sua imagem vem sofrendo com a crise econômica e os escândalos da Petrobras.
A rotina de viagens da presidente foi retomada como parte dessa estratégia. Nos últimos dez dias, Dilma esteve em Feira de Santana (BA), Santa vitória do Palmar (RS), Rio de Janeiro e agora no Triângulo Mineiro –uma viagem a cada dois dias e meio.
Dilma era bem avaliada por 47% do eleitorado (ótimo e bom) em 2011, chegando a ter mais de 60% de aprovação há dois anos, segundo o Datafolha. Neste começo de 2015, ela viu essa boa avaliação despencar para 23%.
E em proporção até maior, viu o grupo dos 7% que a avaliavam como ruim ou péssimo saltar neste ano para 43%. Dilma tem a pior avaliação de um presidente desde o governo do tucano Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).
AGENDA DE ÚLTIMA HORA
A agenda desta sexta-feira foi montada há seis dias apenas. O prefeito de Araguari, Raul Belém (PP), disse à imprensa local que foi pego de surpresa quando procurado, no dia 28 de fevereiro, para tratar da presença da presidente na cidade para entregar apartamentos do programa Minha Casa, Minha Vida.
Dois dias antes, havia acontecido o sorteio dos 710 apartamentos do residencial Bela Suíça 2. Nesta quinta-feira (5), os contratos foram assinados. A entrega das chaves estava marcada para o próximo dia 16, mas foi antecipada em dez dias para que a presidente pudesse participar.
A entrega inclui também o Bela Suíça 3, totalizando 1.472 unidades do Minha Casa, Minha Vida. Mas, segundo a Caixa Econômica Federal, somente os 710 serão contemplados imediatamente –a previsão para os demais é para os próximos dias.
Ainda há um canteiro de obras da Pizolato Construtora e Incorporadora no local, mas funcionários da empresa disseram à reportagem que os dois conjuntos já estão finalizados.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber